Dictatus Papae

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Dictatus Papae
por Gregório VII


1[editar]

Que a Igreja Romana foi fundada somente por Deus.

2[editar]

Que somente o Pontifice Romano pode ser chamado de universal com pleno direito.

3[editar]

Que somente o Pontifice pode depor e restabelecer bispos.

4[editar]

Que os legados do Pontifice, ainda que de grau inferior, em um concílio estão acima de todos os bispos, e pode contra estes pronunciar sentença de deposição.

5[editar]

Que o Papa pode depor os ausentes.

6[editar]

Que não se deve ter comunhão ou permanecer na mesma casa com aqueles que tenham sidos excomungados.

7[editar]

Que só a ele é lícito promulgar novas leis de acordo com as necessidades dos tempos, reunir novas congregações, converter uma abadia em casa canônica e vice-versa, dividir uma diocese rica ou unir pobres.

8[editar]

Que somente ele possui as insignias imperiais.

9[editar]

Que todos os príncipes devem beijar os pés do Papa.

10[editar]

Que o seu nome deve ser recitado em toda igreja.

11[editar]

Que o seu título é único no mundo.

12[editar]

Que é lícito depor o imperador.

13[editar]

Que a ele é lícito segundo as necessidades transladar os bispos de uma sede para outra.

14[editar]

Que ele tem o poder de ordenar um clérigo de qualquer igreja para o lugar que queira.

15[editar]

Que o que foi ordenado por ele pode governar a igreja de outro, mas não fazer a guerra; não pode receber de outro bispo um grau superior.

16[editar]

Que nenhum sínodo pode ser chamado de geral se não for guiado por ele.

17[editar]

Que nenhum artigo ou livro pode ser chamado de canônico sem sua autorização.

18[editar]

Que nada pode revogar sua palavra, só ele pode fazê-lo.

19[editar]

Que nada pode julgá-lo.

20[editar]

Que nada pode condenar quem apela a Sede Apostólica.

21[editar]

Que as causas de maior importância, de qualquer igreja, devem ser submetida ao seu juizo.

22[editar]

Que a Igreja Romana não erra e não errará jamais, isto está de acordo com as sagradas escrituras.

23[editar]

Que o Pontífice Romano, se houve sido ordenado em uma eleição canônica,está indubitavelmente santificado pelos mérito do Bem Aventurado Pedro como nos testemunha Santo Ennódio, bispo de Pávia, com o consentimento de muitos Santos Padres, como se encontra escrito nos decretos do bem aventurado Papa Símaco.

24[editar]

Que de baixo de sua ordem e com sua permissão é lícito aos súditos fazer acusações.

25[editar]

Que pode depor e restabelecer os bispos mesmo fora de reuniões de sínodo.

26[editar]

Que não deve ser considerado católico quem não está de acordo com a Igreja Romana.

27[editar]

Que o Pontifice pode absolver os súditos de juramento de fidelidade a iníquos.

Existe na Wikipédia um artigo relacionado com Dictatus Papae.
Heckert GNU white.svg Este trabalho foi publicado nos termos da GNU Free Documentation License.