Fabulas de Esopo/O Cão e seu Dono

Wikisource, a biblioteca livre
< Fabulas de Esopo

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fabulas de Esopo por Esopo, traduzido por Manuel Mendes da Vidigueira
O Cão e seu Dono


FABULA III.


O Cão e seu Dono.

Hum Cão de hum Hortelão chegou ao poço, e como em baixo vio sua figura, começou a affeiçoala, e tanto fez e bolio, que cahio no poço. Andava o Cão meio affogado e o Hortelão com dó delle desceo abaixo junto da agua para o tirar, e como lhe pegasse, o Cão lhe metteo os dentes no braço e o atravessou; o Hortelão o largou com a dôr, e o Cão dahi a pouco affogou-se.

MORALIDADE.


Por este Cão se entende o peccador, que quando alguem com bons conselhos o quer tirar do poço dos peccados vira-se a mordelo com affrontas de obras; mas o que ganha o tal he que seu ajudador o larga, e se Deos não lhe acode, affoga-se e acaba em seus vicios, para ir começar a pagalos no inferno.