Fabulas de Esopo/O Cervo e o Cavallo

Wikisource, a biblioteca livre
< Fabulas de Esopo
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fabulas de Esopo por Esopo, traduzido por Manuel Mendes da Vidigueira
O Cervo e o Cavallo


FABULA LXXIII.


O Cervo e o Cavallo.

Peleijárão algumas vezes sobre o pasto o Cervo e o bom do Cavallo, e porque o Veado com os cornos fez sempre fugir o Cavallo, foi-se a hum homem e disse-lhe: Põe-me hum freio e huma sella, e sobe sobre mim, e matarás hum Veado, que aqui anda. Fê-lo o homem assim: e morto o Veado, quiz o Cavalio que se apeasse; mas o homem acolheo-se á posse e o Cavallo ficou sempre sujeito ao freio e sella, e a andar debaixo.


MORALIDADE.


Esta Fabula traz Horacio no primeiro livro das Epistolas e declara entendendo pelo Cavallo aquelle que por comer ou levar vantajem a outro aceita servir a alguem, porque ficará sempre servo por não se contentar com o que lhe bastava.