Fabulas de Esopo/O Homem e o Leão

Wikisource, a biblioteca livre
< Fabulas de Esopo
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fabulas de Esopo por Esopo, traduzido por Manuel Mendes da Vidigueira
O Homem e o Leão


FABULA LXIV.


O Homem e o Leão.

Andando o Leão á caça, metteo hum estrepe no pé, com que não podia bolir-se. Encontrou hum homem, e mostrou-lho para que lho tirasse. Fêlo assim o homem; e o Leão em paga partio da caça com elle. Dalli a muito tempo foi tomado este Leão para certas festas, e nellas se lançavão homens, para que os matasse. Entre elles lhe lançárão este que o curou, que estava prezo por algumas culpas. Porém o Leão não só o não matou, antes se pôz em sua guarda, e o acompanhou toda a vida, caçando para elle.

MORALIDADE.


Não he só fabula a de cima, mas historia verdadeira, que Appino Polibio Grego a conta, e Aulo Gelio nas noites Atticas, e delle a traz Baptista Fulgoso no quinto Livro. Todos dizem que o homem era cativo, e se chamava Andronico. Deste Leão, não fabuloso, senão verdadeiro, podemos aprender a ser agradecidos a quem nos faz bem, pois vemos que hum bruto tão feroz mostra tamanho agradecimento. Pela mesma occasião dizem que teve outro Leão S. Jeronymo, que lhe servia de carga e companhia.