Fantina/XV

Wikisource, a biblioteca livre
< Fantina
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
XV
por Francisco Badaró


Naquella noite em que o Zé de Deus lançou muito pau de envolta com excommunhões sobre o burro, chegou ao Ingaseiro o Teixeira, muito amigo da casa. Estavam de prosa na sala quando o recemchegado perguntou pelo truque ; pois que desde as fogueiras de S. Pedro até aquelle dia não pegava em cartas. D. Luzia disse-lhe que podiam jogar, estavam a conta certa. D'ahi a pouco entrou Fantina muito alegresinha, com o cabello solto, formando canudos pelos hombros, um ropão branco abotoado pela frente, e estendeu em uma mesa pequena o damasco.

— Bom — disse o Teixeira — tiremos a sorte.

D. Luzia viu os olhos de Frederico mordendo-lhe asformas do seio farto de carnes lantas, e sorriu.

— Vou eu jogar com o Jucá e a Sra. comadre com o commendador Frederico, bradou o Teixeira baralhando.

Não demorou muito e a voz do apaixonado do truque reboava pelo interior da casa.

Frederico em frente de D. Luzia achava-a soffrivel nessa noite.

E, na verdade, o pó de arroz que sombreava-lhe a pelle clara, tinha ura tom macio ; um verniz muito molle no cabello, certa inturaecencia nos lábios vermelhos e redondos, o seio com traços escorreitos, formavam um todo promettedor. O cheiro de la vanille, muito doce e subtil, que saturava o ropão sulferino que ella trajava, produzia em Frederico certos alcantis coneupiscentes. O calor abafava ; a luz do grande candieiro de latão que pendia do meio da sala derramava nas paredes caiadas de branco, com pequenos barrados pelos extremos, uma côr cheia de tonalidades mordentes. Sem sentir D. Luzia tocou no pé de Frederico com a ponta do sapatinho de marroquina, de biqueiras de verniz.

Frederico a esta prova de amor, atordoou-se. Esqueceu-se das cartas e instinctivamente dizia :

— Truco.

Dando uma forte punhada na mesa o Teixeira bradou :

— Seis, jogador !

E Frederico perdia.

Então uma gargalhada chocarreira saracoteava pelos vastos corredores fazendo com que as mulatas que bordavam crivos ao redor de um maneebo d'azeite, dessem cotoveladas umas nas outras.


PD-icon.svg Este material está em domínio público nos Estados Unidos e demais países que protejam os direitos autorais por cem anos (ou menos) após a morte do autor.