Foi uma pena e teve graça

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Foi uma pena e teve graça
por João Simões Lopes Neto
Publicada originalmente em sua coluna, Balas de estalo, em 2 de julho de 1888, utilizando o pseudônimo João Riforte.


Foi uma pena e teve graça
A sorte da companhia:
No tempo da carestia,
Foi uma pena e teve graça...
Queixam-se à hipocondria
Certas figuras da praça...
Foi uma pena e teve graça
A sorte da companhia
Salvou-se a arte de Liszt,
As creações de Thaberg
Co’a graciosa Schomberg,

Salvou-se a arte de Liszt —
— Côa força dos metais Berg —
O meu triolé insiste:
Salvou-se a arte de Liszt
As creações de Thalberg
No concerto do concerto
Com certo aplomb se destaca
Muita fidalga casaca

No concerto do concerto...
E... uma comenda qu’estaca
Torcendo a cara ao aperto,
No concerto do concerto,
Com certo aplomb se destaca...