Improviso (Bocage)

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Improviso
por Bocage
Poema agrupado posteriormente e publicado em Poesias eroticas, burlescas e satyricas

Á meia noite
Saiu de um cano
Cheio de merda
Crispiniano.

Eis que da ronda
Tropel insano
Divisa ao longe
Crispiniano.

Capuz o cobre
«És franciscano?»
— Sou (lhe responde)
«Grispiniano».

Chega o alcaide,
Dá-lhe um abano;
Sáe da gravata
Crispiniano.