Ingrata, e sempre ingrata

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
(Ingrata, e sempre ingrata)
Quadra de tradição popular coletada por João Simões Lopes Neto
Poema agrupado posteriormente e publicado em Cancioneiro Guasca .


Ingrata, e sempre ingrata,
Quero te chamar assim...
Ingrata, que me negaste,
Depois de me dar um sim!