Já vi mosquitos por cordas

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Já vi mosquitos por cordas
por João Simões Lopes Neto
Publicada originalmente em sua coluna, Balas de estalo, em 22 de setembro de 1888, utilizando o pseudônimo Job Riverde.


Já vi mosquitos por cordas,
Canários tirando sortes,
Formigas construir fortes,
Já vi mosquitos por cordas:
Várias amostras de mortes,
Ter importância os calhordas,
Já vi mosquitos por cordas,
Canários tirando sortes.

Vi os ursos, o Serino,
O elefante, três macacos;
Um lampeão feito em cacos,
Já vi os ursos, o Serino;
O Nicolau com dois tacos,
Jogar espada um menino,
Vi os ursos, o Serino,
O elefante, três macacos.

— Pues, Senõr — e sendo velha
Vi cousas de me espantar,
De boca aberta ficar:
— Pues, Senõr — e sendo velha
De medo estou a babar
Surgiu a tocha vermelha!
— Pues, Señor — e sendo velha
Vi cousas de me espantar!!