João Ferreira de Almeida (1819)/Mattheus/VI

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
  1. ATENTAE que naõ façais vossa esmola perante os homens para que d'elles sejais vistos: d'outra maneira naõ avereis galardaõ acerca de vosso Pae que está nos ceos.
  2. Portanto quando fizeres esmola, naõ faças tocar trombeta diante de ty, como fazem nas Synagogas e nas ruas os hypocritas, para dos homens serem honrados: em verdade vos digo, que ja tem seu galardaõ.
  3. Mas quando tu fizeres esmola, naõ saiba tua maõ ezquerda o que faz a tua direita.
  4. Para que tua esmola seja em oculto, e teu pae que vé em oculto, elle t'o renderá em publico.
  5. E quando orares, naõ sejas como os hypocritas; porque folgaõ de orar em pé nas Synagogas, e nos cantos da sruas, para dos homens serem vistos. Em verdade vos digo, que ja tem seu galardaõ.
  6. Mas tu, quando orares, entra em tua camara, e cerrando tua porta, ora a teu Pae, que está em oculto, e teu Pae que te vé em oculto, elle t'o renderá em publico.
  7. E orando, naõ paroleeis como os gentios, que cuidaõ que por seu muyto fallar haõ de ser ouvidos.
  8. Naõ vos façais pois semelhantes a elles; que vosso Pae sabe o que vos he necessario, antes que vos lh'o peçais.
  9. Vos outros pois orareis assi: Pae nosso, que estás nos ceos, sanctificado seja o teu nome.
  10. Venha o teu Reyno. Seja feita a tua vontade assi na terra, como no ceo.
  11. O paõ nosso de cadadia nos da hoje.
  12. E perdoa nos nossas dividas, assi como nos perdoamos a os nossos devedores.
  13. E naõ nos metas em tentaçaõ, mas livra nos do mal: porque teu he o Reyno, e a potencia, e a gloria, para todo sempre, Amen.
  14. Porque se a os homens perdoardes suas offensas, tambem vosso Pae celestial vos perdoará a vos.
  15. Mas se a os homens naõ perdoardes suas offensas, taõ pouco vos perdoará vosso Pae vossas offensas.
  16. E quando jejũardes, naõ vos mostreis tristonhos, como os hypocritas: porque desfiguraõ seus rostos, para a os homens parecerem que jejũaõ. Em verdade vos digo, que ja tem seu galardaõ.
  17. Porem tu, quando jejũares, unge tua cabeça, e lava teu rosto,
  18. Para a os homens naõ pareceres que jejũas, senaõ a teu Pae, que está em oculto: e teu Pae que vé em oculto, elle t'o rendera em publico.
  19. Naõ vos ajunteis thesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo gasta, e onde os ladroens minaõ e roubaõ.
  20. Mas ajuntaevos thesouros no ceo, onde nem a traça nem a ferrugem nada gasta, e onde os ladroens naõ minaõ nem roubaõ.
  21. Porque onde vosso thesouro estiver, ali estará tambem vosso coraçaõ.
  22. A candea do corpo he o olho; assi que se teu olho for sincero, todo teu corpo sera luminoso.
  23. Porem se teu olho for malino, todo teu corpo será tenebroso. Assi que se a luz que em ty ha trevas saõ, quantas as mesmas trevas seraõ.
  24. Ninguem pode servir a dous senhores: pois ou ha de aborrecer a o hum, e amar a o outro; ou se ha de chegar a o hum, e a desprezar a o outro. Naõ podeis serivr a Deus e a Mammon.
  25. Portanto vos digo, naõ andeis solicitos por vossa vida, que aveis de comer, ou que aveis de beber; nem por vosso corpo, com que vos aveis de vestir. Naõ he a vida mais que o mantimento, e o corpo mais que o vestido?
  26. Olhae para as aves do ceo, que nem semeaõ, nem segaõ, nem ajuntaõ em celleiros; e com tudo vosso Pae celestial as alimenta. Naõ sois vos muyto melhores que ellas?
  27. Mas qual de vosoutros poderá com toda sua solicitidaõ acrecentar hum covado à sua estatura?
  28. E polo vestido, porque andais solicitos? atentae para os lyrios do campo, como crecem: nem travalhaõ, nem fiaõ.
  29. E vos digo, que nem ainda Salamaõ, em toda sua gloria, foy vestido como hum d'elles.
  30. Pois, se Deus assi veste a erva do campo, que hoje he, e a manhaã se lança no forno; naõ vos vestirá muyto mais a vos, homens de pouca fé.
  31. Naõ andeis pois solicitos, dizendo: que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos?
  32. Porque todas estas cousas buscaõ os Gentios: que bem sabe vosso Pae celestial, que de todas estas cousas necessitais.
  33. Mas buscae primeiro o Reyno de Deus, e sua justiça; e todas estas couas vos seraõ acrecentadas.
  34. Naõ andeis pois solicitos polo da manhaã; porque a manhaã terá cuidado se si mesma. Basta a cada dia seu mal.