João Ferreira de Almeida (1819)/Mattheus/V

Wikisource, a biblioteca livre
< João Ferreira de Almeida (1819)‎ | Mattheus
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
S. Mattheus - Capitulo V
por João Ferreira de Almeida


  1. E VENDO Jesus as companhas, subio a hum monte; e assentandose, chegáraõ se a elle seus Discipulos.
  2. E abrindo sua boca, os ensinava, dizendo:
  3. Bemaventurados os pobres de espirito, porque d'elles he o Reyno dos ceos
  4. Bemaventurados os tristes, porque elles seraõ consolados.
  5. Bemaventurados os mansos, porque elles herdaraõ a terra.
  6. Bemaventurados os que haõ fome e sede da justiça, porque elles serão fartos.
  7. Bemaventurados os misericordiosos, porque elles alcançaráõ misericordia.
  8. Bemaventurados os limpos de coraçaõ, porque elles veraõ a Deus.
  9. Bemaventurados os pacificos, porque elles seraõ chamados filhos de Deus.
  10. Bemaventurados os que padécem perseguiçaõ por causa da justiça, porque d'elles hé o Reyno dos ceos.
  11. Bemaventurados sois vosoutros, quando vos injuriarem, e perseguirem, e contra vós todo mal fallarem por minha causa, mentindo.
  12. Gozae vos e alegrae vos, que grande he vosso galardaõ em os ceos; porque assi perseguíraõ a os Prophetas, que foraõ antes de vosoutros.
  13. Vos sois o sal da terra; pois se o sal se desbotar, com que se salgará? para nada mais presta, senaõ para se lançar fora, e se pisar dos homens.
  14. Vos sois a luz do mundo: naõ se pode esconder a cidade fundada sobre o monte.
  15. Nem se acende a candéa e se pôe debaixo do alqueire, mas no candieiro, e alumia a todos quanto em casa estaõ.
  16. Assi resplandeça vossa luz diante dos homens, para que vejaõ vossas boas obras, e glorifiquem a vosso Pae, que está nos ceos.
  17. Naõ cuideis que vim a desatar a Lei, ou os Prophetas: naõ vim a os desatar, senaõ a os cumprir.
  18. Porque em verdade vos digo, que até que naõ passem o ceo e a terra, nem hum jota, nem hum til se passará da Ley, que tudo naõ aconteça.
  19. De maneira que qualquer que desata rum destes mais pequenos mandamentos, e assi ensinar a os homens, o menor será chamado no Reyno dos ceos: porem qualquer que os fizer e ensinar, esse será chamado grande no Reyno dos ceos.
  20. Porque vos digo, que se vossa justiça naõ sobrepujar a dos Escribas e Phariseos, em maneira nenhuã entrareis no reyno dos ceos.
  21. Ouvistes que foy tido a os antigos: naõ matarás; mas qualquer que matar será reo de juizo.
  22. Porem eu vos digo, que qualquer que contra seu irmão sem razaõ se indignar, será reo de juizo. E qualquer que a seu irmão disser Raca, será reo do supremo conselho. E qualquer que lhe disser louco, será reo do fogo do inferno.
  23. Por tanto se trouxeres teu presente a o altar, e ali te lembrares, que teu irmaõ tem alguma cousa contra ty:
  24. Deixa ali teu presente diante do altar, e vae, reconcilia te primeiro com teu irmaõ, e entaõ vem, e offeréce teu presente.
  25. Concorda-te asinha com teu adversário, entretanto que com ele estás no caminho, porque por ventura o adversario te naõ entregue a o juiz, e o juiz te entregue a o ministro, e te lançem na prisaõ.
  26. Em verdade te digo, que em maneira nenhuma sairás d'ali, até naõ pagares o derradeiro ceitil.
  27. Ouvistes o que foy dito a os antigos: naõ adulterarás.
  28. Porem eu vos digo, que qualquer que atentar para alguã mulher para a cobiçar, ja com ella adulterou em seu coraçaõ.
  29. Portanto se teu olh direito te escandalizar, arranca o, e lança o de ty; que melhor te he, que hum de teus membros se perca, do que todo teu corpo seja lançado no inferno.
  30. E se a tua maõ direita te escandalizar, corta a, e lança a de ty; que melhor te he que hum de teus membros se perca, do que todo teu corpo seja lançado no inferno.
  31. Tambem foy dito: qualquer que deixar sua mulher, dé lhe carta de desquite.
  32. Porem eu vos digo, que qualquer que deixar sua mulher fora de causa de fornicaçaõ, faz que ella aldutére; e qualquer que com a deixada se casar, adultéra.
  33. Outro si, ouvistes que foy dito a os antigos: naõ te perjurarás, mas pagarás a o Senhor teus juramentos.
  34. Porem eu vos digo, que em maneira nenhuã jureis: nem polo ceo, porque he o throno de Deus:
  35. Nem pola terra, porque he o escabello de seus pés: nem por Jerusalem, porque he a cidade do graõ Rey.
  36. Nem por tua cabeça jurarás, pois nem hum cabello podes fazer branco, ou preto.
  37. Mas seja vosso fallar, si, si, naõ, naõ; porque o que disto passa, procede do malino.
  38. Ouvistes o que foy dito: olho por olho, e dente por dente.
  39. Mas eu vos digo, que naõ reistais a o mal; antes a qualquer que te der em tua face direita, vira lhe tambem a outra.
  40. E a o que quiser preitear com tigo, e te tomar tua roupeta, larga lhe tambem a capa.
  41. E qualquer que te obrigar a caminhar huã legoa, vae com elle duas.
  42. Dá a quem te pedir; e a quem de ty quiser tomar emprestado, naõ te desvies.
  43. Ouvistes que foy dito: amarás a teu proximo, e aborrecerás a teu inimigo.
  44. Porem eu vos digo: amae a vossos inimigos, bendizei a os que vos maldizem, fazei bem a os que vos aborrecem, e rogae polos que vos maltrataõ e vos perseguem.
  45. Para que sejais filhos de vosso Pae que está nos ceos: porque faz que seu sol saya sobre maos e bons, e chova sobre justos e injustos.
  46. Porque se amardes a os que vos amaõ, que galardaõ avereis? naõ fazem os publicanos tambem o mesmo?
  47. E se somente saudardes a vossos irmãos, que fazeis de mais? naõ fazem os publicanos tambem assi?
  48. Sede pois vosoutros perfeitos, como vosso Pae que está nos ceos he perfeito.