João Ferreira de Almeida (1819)/Mattheus/XII

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
  1. NAQUELLE tempo hia Jesus por huns semeados em Sabbado; e seus Discipulos aviaõ fome, e começaraõ a arrancar espigas, e a comer.
  2. E vendo isto os Phariseos, disseraõ lhe: vés ahi teus Discipulos fazem o que naõ he licito fazer em Sabbado.
  3. Porem elle lhes disse: Naõ tendes lido o que vez David, quando teve fome, elle e os que com elle estavaõ?
  4. Como entrou na casa de Deus, e comeo os paens da proposiçaõ que a elle lhe naõ era licito comer, nem tam pouco aos que com elle estavaõ, senaõ só aos Sacerdotes?
  5. Ou naõ tendes lido na Ley, que nos Sabbados, em o Templo, os Sacerdotes profanaõ o Sabbado, e saõ inculpaveis?
  6. Pois eu vos digo que mayor que o Templo está aqui.
  7. Mas se vos soubereis que cousa he, misericordia quero e naõ sacrificio; naõ condenaríeis a os innocentes.
  8. Porque até do Sabbado é o Filho do homem Senhor.
  9. E partindose d'ali, veyo a sua Synagoga d'elles.
  10. E eis que havia ali hum homem que tinha huã maõ seca: e perguntaraõ lhe, dizendo: he também licito curar em Sabbados? (pera o acusarem).
  11. E elle lhes disse: Que homem de vosoutros averá, que tenha huã ovelha, e se a tal cair em huã cava em Sabbados, naõ lançe maõ d'ella, e a levante?
  12. Pois quanto mais val um homem, que huã ovelha? Assi que licito he fazer bem em Sabbados.
  13. Entonces disse a aquelle homem: estende tua maõ; e elle a estendeo, e foy lhe restituida sãa como a outra.
  14. E saídos os Phariseos, tiveraõ conselho contra elle, de como o matariaõ.
  15. Mas sabendo-o Jesus, retirouse d'ali; e o seguiraõ muytas companhas, e a todos os curou.
  16. E os ameaçava, que o naõ manifestassem.
  17. Pera que se cumprisse o que estava dito pelo Propheta Isayas, que disse:
  18. Vedes aqui meu servo a quem escolhi, meu amado em quem minha alma se agrada: sobre elle porei meu Espirito, e as Gentes denunciará juízo.
  19. Naõ contenderá, nem clamará; nem ninguem sua voz pelas ruas ouvirá.
  20. A cana trilhada naõ quebrantará, e o pavio que fumega naõ apagará, até que tire o juízo em vitória.
  21. E em seu Nome esperaraõ as Gentes.
  22. Entonces lhe trouxeraõ um endemoninhado cego e mudo: e de tal maneira o curou, que o cego e mudo fallava e via.
  23. E todas as companhas pasmavam e diziaõ: naõ é este o Filho de David?
  24. Mas ouvindo os Phariseos isto, diziam: Este naõ lança fora os Demonios, senaõ por Beelzebul, Principe dos Demonios.
  25. Porem entendendo Jesus seus pensamentos, disselhes: Todo Reyno contra si mesmo diviso he assolado: e toda cidade, ou casa, divisa contra si mesma, naõ subsistirá.
  26. E se Satanás lança fora a Satanás, contra si mesmo está diviso: como subsistira logo seu reyno?
  27. E seu eu por Beelzebul lanço fora os Demonios, por quem os lançaõ logo vossos filhos? Portanto elles seraõ vossos juízes.
  28. Mas se eu pelo Espírito de Deus lanço fora aos Demonios, chegado é logo a vosoutros o Reino de Deus.
  29. Ou como pode alguem entrar em casa do valente, e saquear seu fato, se primeiro naõ amarrar ao valente; e entonces saqueará sua casa.
  30. Quem comigo naõ he, he contra my; e quem comigo naõ apanha, derrama.
  31. Por tanto eu vos digo: Todo pecado e blasphemia se perdoará aos homens; mas a blasphemia contra o Espirito naõ se perdoará aos homens.
  32. E qualquer que fallar palavra alguã contra o Filho do homem, lhe será perdoado; mas qualquer que fallar contra o Espirito Sancto, naõ lhe será perdoado, nem neste seculo, nem no vindouro.
  33. Ou fazei a arvore boa, e seu fruito bom; ou fazei a arvore má, e seu fruito mao; porque pelo fruito se conhece a arvore.
  34. Raça de biboras, como podeis vos fallar boas cousas, sendo maos? porque da abundancia do coraçaõ falla a boca.
  35. O bom homem tira boas cousas do bom thesouro de seu coraçaõ, e o mao homem do mao thesouro tira más cousas.
  36. Mas eu vos digo, que de toda palavra ociosa que os homens falarem, dela daraõ conta no dia do juízo.
  37. Porque por tuas palavras serás justificado, e por tuas palavras serás condenado.
  38. Entonces responderaõ uns dos Escribas e dos Phariseos, dizendo: Mestre, quiseramos ver de ti algum sinal.
  39. Mas elle respondeu, e disselhes: a geraçaõ má e adulterina pede sinal; mas sinal se lhe naõ dará, senaõ o sinal de Jonas o Profeta.
  40. Porque como Jonas esteve tres dias e tres noites no ventre da balea: assi estará o Filho do homem tres dias e tres noites no coraçaõ da terra.
  41. Os de Ninive se levantaráõ em juizo com esta geraçaõ, e a condenaráõ: porque com a prégaçaõ de Jonas se arrependeraõ. E eis que mais que Jonas está aqui.
  42. A Rainha do Austro se levantará em juizo com esta geraçaõ, e a condenará; porque veyo dos fins da terra a ouvir a sabedoria de Salamaõ. E eis que mais que Salamaõ está aqui.
  43. E quando o espirito immundo se tem saido do homem, anda por lugares secos buscando repouso e naõ o acha.
  44. Entonces diz: Tornarmehei a minha casa d'onde sahi. E vindo, acha-a desocupada, barrida, e adornada.
  45. Entonces vai, e toma com sigo outros sete espiritos peyores que elle; e entrados, moraõ ali: e saõ as cousas derradeiras do tal homem peyores que as primeiras. Assi acontecerá tambem a esta má geraçaõ.
  46. E fallando elle ainda a as companhas, eis que estavaõ sua mae e seus irmaõs fora, que lhe queriaõ fallar.
  47. E disse-lhe um: Vês ali estaõ fora tua mãe e teus irmaõs, que te querem falar.
  48. Porem respondendo elle, disse a o que isto lhe dizia: Quem he minha mãe? e quem saõ meus irmaõs?
  49. E estendendo sua maõ sobre seus Discipulos, disse: Vedes aqui minha mae e meus irmaõs.
  50. Porque qualquer que fizer a vontade de meu Pae, que está nos ceos, esse he meu irmaõ, e irmãa, e mae.