Memória sobre a ilha Terceira/III/V

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Memória sobre a ilha Terceira por Alfredo da Silva Sampaio
Parte III — Peixes


Peixes

I — Acantopterígeos

Família — Percoides 1. Trachinus vipera Cuv.1 — Vulgarmente «aranha-do-mar». Aparece junto às costas e é temida pelos pescadores, por causa da ferida produzida pela barbatana dorsal. 2. Polyprion cernium Val.2 — Vulgarmente «cherne». Aparece no alto mar, e muitas vezes atinge grandes dimensões. 3. Serranus cabrilla Linn. — Vulgarmente «garoupa». Há mais de uma espécie nos mares dos Açores, mas esta é a mais frequente. É peixe do fundo do mar. 4. Serranus anthias Cuv.3 — Vulgarmente «folião». Aparece frequentemente, mas não é apreciado. 5. Serranus gigas Brünnich4 — Vulgarmente «mero». Vive no alto mar, adquirindo às vezes grandes dimensões. 6. Beryx decadactylus Cuv. — Vulgarmente «imperador». Não é muito frequente. 7. Mullus barbatus Linn. — Vulgarmente «salmonete». Peixe pouco vulgar, mas muito apreciado. Família — Torácicos incouraçados 8. Scorpaena imperialis Cuv.5 — Vulgarmente «boca-negra». Aparece algumas vezes, mas é pouco estimado.


0139

9. Scorpaena scropha Linn. — Vulgarmente «rocaz». Encontra-se muitas vezes, e no fundo do mar. 10. Scorpaena porcus Linn. — Vulgarmente «peixe-porco»6. Encontra-se entre as pedras e nas poças. 11. Trigla lyra Linn. — Vulgarmente «cabra». Encontra-se no fundo do mar, e não é muito frequente. Família — Scienoides 12. Heliazes marginatus Cuv.7 — Vulgarmente «castanheta». É pequeno e só aparece no inverno. 13. Sciaena aquila Cuv.8 — Vulgarmente «corvina». É raro e aparece no alto mar. Família — Sparoides 14. Pagellus acarne Cuv. — Vulgarmente «besugo». Muito frequente e apreciado. 15. Pagellus centrodontus Cuv.9 — Vulgarmente «goraz». Aparece muito na primavera e é pescado do fundo do mar. 16. Box vulgaris Linn.10 — Vulgarmente «boga». Encontra-se frequentes vezes e em todas as estações. 17. Box salpa Cuv.11 — Vulgarmente «salema». Encontra-se nas costas da ilha e principalmente no verão. 18. Box sp.12 Vulgarmente «carapau».13 Muito frequente no verão.


140

19. Cantharus lineatus Linn. (ou C. vulgaris)14 — Vulgarmente «cântaro». Não aparece com muita frequência e é pouco conhecido. 20. Pagrus vulgaris Cuv.15 — Vulgarmente «pargo». Muito frequente, sobretudo na primavera, sendo muito apreciado. 21. Sargus vulgaris Cuv.16 — Vulgarmente «sargo» ou «palmeiro». É trivial e pesca-se de preferência quando o mar esta agitado. Quando pequeno, os pescadores dão-lhe o nome de «palmeiro». Família — Scomberoides 22. Xiphias gladius Linn. — Vulgarmente «agulhão». Encontra-se poucas vezes, e só no alto mar. 23. Thynnus brachypterus Linn.17 — Vulgarmente «alvacora»18. Encontra-se no mar alto e é raro. 24. Thinnus pelamys Linn.19 — Vulgarmente «bonito». Encontra-se com pouca frequência e só no mar alto. 25. Scomber scombrus Linn. — Vulgarmente «cavala». Muito abundante no verão. 26. Caranx trachurus Cuv.20 — Vulgarmente «chicharro». Encontra-se durante todo o ano e em major abundância no verão. 27. Caranx sp. — Vulgarmente «encharéu».21 Pesca-se frequentes vezes e com especialidade no outono e no inverno. 28. Coryphaena equiselis Linn. — Vulgarmente «dourado». Não é muito frequente, mas é muito apreciado.


141

29. Temnodon saltator Cuv.22 — Vulgarmente «enchova» ou «anchova». Raras vezes se encontra, embora seja muito abundante na ilha vizinha de S. Jorge. 30. Thyrsites pretiosus Cuv.23 — Vulgarmente «escobar». Poucas vezes aparece, sendo muito estimado. 31. Lepidopus lusitanicus Leach.24 — Vulgarmente «espada» ou «talabarte». Raras vezes aparece nos mares da Terceira. 32. Zeus faber Linn. — Vulgarmente «peixe-galo». Encontra-se muitas vezes, sobretudo no inverno. 33. Lichia glauca25 Linn. — Vulgarmente «pombreta». 34. Naucrates ductor Linn. — Vulgarmente «romeiro». Acompanha frequentemente o tubarão. 35. Auxis rochei Cuv. — Vulgarmente «serra». Quando aparece no verão, é em grande abundância, sendo mais frequente o seu aparecimento próximo da Vila da Praia. 36. Sphyraena vulgaris Cuv.26 — Vulgarmente «bicuda». Muito frequente. 37. Seriola dumerili Risso — Vulgarmente «lírio». Não é muito frequente e é muito apreciado. Família — Mugiloides 38. Mugil chelo Cuv.27 — Vulgarmente «mugem». Aparece em abundância, sobretudo no verão.


142

Família— Gobioides 39. Gobius niger Lin. — Vulgarmente «caboz». Encontra-se nas poças, junto às costas. 40. Gobius lota Cuv.28 — Vulgarmente «juliana».29 Encontra-se nas mesmas condições que o precedente. Família — Labroides 41. Labrus merula Linn. — Vulgarmente «bodião». Aparecem muitas espécies deste género Labrus, mas esta espécie é a mais vulgar e a que aparece no inverno. 42. Coris julis Linn. — Vulgarmente «peixe-rei». É muito frequente e muito apreciado. 43. Scarus cretensis Cuv.30 — Vulgarmente «veja». Não é muito abundante, mas é muito apreciado. II — Malacopterígios abdominais Família — Cyprinoides 44. Cyprinus auratus Linn.31 — Vulgarmente «peixe-vermelho-dos-tanques». Família — Esoceos 45. Esox belone Linn.32 — Vulgarmente «agulha». Encontra-se não com muita abundância, e principalmente no verão. 46. Exocoetus volitans Bloch. — Vulgarmente «peixe voador». Encontra-se no alto mar.


143

Família — Clupeoides 47. Clupea pilchardus Bloch.33 — Vulgarmente «sardinha». Aparece em grande quantidade e em todas as estações. Família — Salmonoides 48. Saurus trivirgatus Val.34 — Vulgarmente «lagarto». É pescado próximo das costas, mas não aproveitado para alimento. 49. Saurus griseus Riss.35 — Vulgarmente «albafar».36 Pouco frequente. III — Malacanthopterygeos subbracheanos Família — Gadoides 50. Gadus murrhua Linn. — Vulgarmente «bacalhau». Muito raras vezes aparece, e é provável que emigre da Terra Nova. 51. Gadus merluccius Linn.37 — Vulgarmente «pescada». É peixe de arribada, que raras vezes se pesca. Quando aparece é nas costas de leste. 52. Phycis mediterraneus Lar.38 — Vulgarmente «abrótea». Família — Pleuronectes 53. Pleuronectes solea Linn.39 — Vulgarmente «linguado». Raras vezes se encontra. 54. Pleuronectes platessa Linn. — Vulgarmente «solha». Encontra-se com alguma frequência próximo das costas.


144

Família — Discabolos 55. Echeneis remora Linn.40 — Vulgarmente «pegador» ou «agarrador». Raras vezes aparece e não é aproveitado. IV — Malacopterygeos apodos Tribu — Anguilla 56. Anguilla canariensis Val.41 — Vulgarmente «eiró» ou «enguia». Só aparece na ribeira que abastece os moinhos, e pescam-se na ocasião da limpeza da mesma ribeira. Também existe no paul da Vila da Praia. 57. Muraena conger Linn.42 — Vulgarmente «congro. É pescado no alto mar, apresentando vezes dimensões consideráveis. 58. Muraena helena Linn. — Vulgarmente «moreia». É muito trivial entre as pedras. 59. Muraena unicolor Lar.43 — Vulgarmente «moreão». É também frequente como a antecedente. V — Plectognates Família — Gymnodontes 60. Tetraodon mola Linn.44 — Vulgarmente «peixe-lua». Encontra-se no alto mar, mas não é empregado na alimentação. Por vezes encontram-se exemplares de grandes dimensões. 61. Tetrodon marmoratus Linn.45 — Vulgarmente «sapo-do-mar». Pequeno peixe que aparece no fundo do mar, mas que não é aproveitado.


0145

62. Mola rotunda Sch.46 — Vulgarmente «peixe-roda». Poucas vezes é capturado. VI — Condropterígios de brânquias fixas Família — Seláceos 63. Scyllium griseum Linn.47 — Vulgarmente «cação».48 Muito abundante, mas não é empregado como alimento. 64. Scyllium catulus Linn.49 — Vulgarmente «lira». Pouco frequente. 65. Squalus zygaena Linn.50 — Vulgarmente «cornuda» ou «peixe-martelo». Não é raro, mas só se lhe aproveita pele para lixar madeira. 66. Raja clavata Linn. — Vulgarmente «raia». É frequente, e empregada como alimento. É a espécie de raia mais comum. 67. Raia maderensis Lowe51 — Vulgarmente «raia». Outra espécie menos frequente. 68. Lamna spallanzanii Day52 — Vulgarmente «tubarão» ou «marracho». Aparece frequentes vezes. 69. Charcharias glaucus Linn.53 — Vulgarmente «tintureira». Pouco frequente. 70. Ceratoptera sp.54 — Vulgarmente «jamanta».55 Pouco frequente.


0146