O sr. d. Contrabando

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O sr. d. Contrabando
por João Simões Lopes Neto
Publicada originalmente em sua coluna, Balas de estalo, em 14 de julho de 1888, utilizando o pseudônimo João Rimole.


O sr. d. Contrabando
Alça a cabeça e ri.
Diz: que gente, nunca vi!...
O sr. d. Contrabando —
E todo ancho de si,
Vai a todos flauteando.
O sr. d. Contrabando
Alça a cabeça e ri!

Pomadas e panos quentes.
Que remédio! É infalível!!...
— Energia? É incompatível —
Pomadas e panos quentes.
É bem caricato, é risível,
Mas não se faz descontentes.
Pomadas e panos quentes:
Que remédio! É infalível!

Este fisco é impagável,
Por outra, pago de mais...
Por entre suspiros, ais.
Este fisco é impagável!
E por brilhanturas tais,
Este fisco lamentável,
Este fisco é impagável
Por outra pago de mais.