Página:A Guerra de Canudos.djvu/120

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
104
A Guerra de Canudos

D'ahi a momentos, foi ouvido o inevitável toque-carga e as linhas, cessando o fogo, arrojaramse para a frente, desalojando os fanaticos; estes, porém, com heroica perseverança, recuavam por momentos, indo mais adiante formar nova resistencia, provocando outras cargas. Os batalhões atacantes iam deixando para traz varios officiaes e praças, mortas e feridas, sendo vistos os cadaveres dos alferes Araújo, do 33°, e Penedo Ahrens, do 32°. O commandante do 33°, tenente-coronel Virginio N. Ramos foi ferido, sendo substituido pelo capitão José J. de Aguiar, por sua vez baleado, cabendo afinal o commando ao capitão José Soares de Mello. O capitão do 32° António C. Chachá Pereira, ao investir com seu batalhão foi gravemente ferido.

A 5ª brigada fazia a retaguarda, protegendo os feridos e o material. O coronel Telles, em virtude do ferimento que abatera physicamente o general Savaget, com a calma que lhe era peculiar, tornou-se o eixo em torno do qual gyravam as ordens emanadas d'aquelle general, e, em vista da grave situação que assoberbava a columna, tomou a iniciativa do ataque, fazendo destacar pela direita uma companhia do 31°, ás ordens do alferes João Carlos Oeistrech, que desalojou o inimigo d'aquelle flanco ; isso conseguido, o batalhão marchou