Página:A Guerra de Canudos.djvu/234

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
198
A Guerra de Canudos

D'esta sorte, ao receberem seus commandantes ordem do coronel Telles para conduzirem-n'a até próximo da Igreja Nova, impossivel lhes foi materialmente cumprirem-n'a.

O canhão dirigido pelo 2.° tenente Fructuoso Mendes, deteve-se no alto d'um morro, entre casas, sem muares, com pequena guarnição, defendido pelo 12.° e uma fracção do 5.° de policia, que lhe forneceu serventes improvizados, mas dedicados. O bravo 2.° tenente Fructuoso, aproveitando as casas que o envolviam, poude abrigar sua gente e sustentou o fogo com pontarias seguras, de modo a produzir grandes estragos no inimigo, bombardeando o grosso do arraial, latada e Igreja Nova.

O outro canhão, ao mando do alferes Macedo Soares obliquou para a esquerda, avançando e occupando boa posição, favoravel ao bombardeio da igreja velha, cheia de jagunços que nos fuzilavam.

Ao meemo tempo, procurava defender as nossas linhas avançadas, atirando opportunamente sobre a latada e cazas da praça, impedindo a approximação dos fanaticos. Esse canhão, durante o resto do dia, bombardeiou a igreja, distante 200 metros, arrombando-lhe parte da parede do fundo, destruindo um forte parapeito, do qual expulsou o inimigo, ali