Página:A Guerra de Canudos.djvu/33

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
25
A Guerra de Canudos

nuvem de fanaticos, victoriosos desde a vspeera e sedentos de vingança.

Todas as tentativas de resistencia foram baldadas ; formavam-se grupos de infantes, tiroteiando em retirada ; mas eram desbaratados e obrigados a fugir.

A artilharia tentou resistir, embora improficuamente, sendo aprizionada ; seu commandante, o capitão Salomão da Rocha, victimado ; e a mor parte da guarnição, morta, ou ferida. Os prizioneiros foram alli mesmo executados, e a carneficina assumiu as proporções de verdadeira hecatombe.

O coronel Tamarindo, não podendo conduzir a retirada, entregou-se ao Destino e foi também morto e o seu cadáver mutilado. Quando o major Cunha Mattos e outros officiaes tentaram, após a morte daquelle coronel, reorganizar a columna, era tarde. Irresistivel panico apossára-se dos sobreviventes e a debandada manifestou-se completa. Quem se não apressou um pouco mais foi sacrificado. Os que, escapando ao facão afiado dos fanaticos, conseguiram ganhar a catinga, passaram por crueis transes, até Monte Santo.

Ahi, á noticia do desastre, a guarnição da Praça evacuou-a sobre Queimadas, deixando em abandono grande copia de cartuchame e varios outros apetrechos. A perseguição durára.