Página:A Guerra de Canudos.djvu/394

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
330
A Guerra de Canudos

Em certo ponto a resistencia foi tanta, tão feroz, que a valente brigada não conseguiu romper os insuperaveis obstaculos, sem poder occupar a igreja, por cujos flancos proseguiu com o fim de a envolver.

A 3ª brigada empenhada na mesma lucta e arcando contra iguaes impecilios, conseguiu romper até o templo, que foi tomado de assalto por companhias do 4°, 7° e 25°, tendo a fracção do 7° atravessado a praça á peito descoberto, penetrando na igreja pela frente, quando caiu morto o valente e esperançoso alferes Ethelbert Neville.

A's 8 horas da manhã, não sendo possivel a conquista de mais terreno, attento a decidida e invencivel resistencia do inimigo, em numero superior a 1.000 homens, dispostos a morte e em posições inexpugnaveis, cessou o movimento quanto ao ataque. O 5° de policia e o 1° do Pará, tambem, durante o combate, tinham avançado e occupado a viva força terreno que mantiveram, na retaguarda da igreja, junto ao leito do rio. Muitas casas tinham sido tomadas, mas as melhores e mais fortes trincheiras do inimigo estavam ainda em seu poder. O assalto, pois, fôra infructifero, á despeito dos rasgos de valor das tropas e dos prejuizos inflingidos ao inimigo.