Página:A Guerra de Canudos.djvu/467

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
A Guerra de Canudos
397

os ultimos estragos da guerra. Mulheres, algumas bem moças, ha um anno bellas, jaziam por ali fazendo parar o batalhão para o sepultamento, ou na maior pressa collocar alguns ramos espinhosos sobre os seus corpos.

As forças seguiram pela estrada de Calumby; de chegada em Monte Santo descançavam um ou dois dias e proseguiam. O tempo mudou, conservando-se humido e chuvoso, de aspecto triste e pardacento o Céu. Quando chegamos aquella villa, existiam grandes acampamentos occupados por centenares de variolosos. Ali morreram dois jaguncinhos, orphãos, que conseguimos obter e transportar até lá: Mariasinha a irmã, de 4 annos, expirou na estrada, inanida, ao chegar. Martiniano, vivo e inteligente caboclo de 12 annos, cahiu em profundo abatimento, vindo morrer áfinal, victimado pela variola. Eram filhos d'um chefete de influencia em Canudos, de nome Norberto e os ultimos sobreviventes d'uma familia numeroza, toda morta no fogo e com os dois irmãos totalmente extincta.

De Monte Santo, seguindo pela estrada telegraphica, chegamos á Queimadas onde os hospitaes estavam abarrotados de feridos, funccionando activamente o benemerito Comité de soccorros, expressão pratica do espirito