Página:A Patria Brazileira.djvu/282

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
264


quero persuadir, que desviar da o])rigação precisa aos homens honrados, numa guerra onde tanto servem a Deus, como a El-Rei e não menos á Pátria, pelo que cingi logo a

espada; e a triste memoria do dia em que a pondes na cinta, esquecendo-vos para a dor, só vos lembre para a vingança, matando ou sendo mortos, tão esforçadamente [que não degenereis desta mãe e daquelles irmãos.»

O patriotismo da — mãe hrazi-

leira —, porém, é ainda capaz de

maiores sacrifícios! Anna Nery,

a al)negada haliiana que recebeu

xVriíia Keiy. q mcrccido e cloqueute cognome

de — Mae dos Brazileiros, á partida de três filhos, médicos

militares, para os campos do Paraguay, seguiu-os, — anjo

de caridade e de heroísmo.

A seu cargo, tomou, na cidade de Gorrientes, um hospital de sangue, onde, carinhosa e bemfazeja, se transformou em dedicada enfermeira, velando pelos feridos e amenisando com o conforto de sua palavra aífectuosa o soffrimento de tantos patriotas!

Recebida triumphalmente em Assumpção, quando nosso exercito alli chegou victorioso, não foi menos enthusiastica sua enti-ada na cidade que lhe foi berço.

Bem expressiva é esta poesia de.Toão de Brito, recitada no momento:

ANNA NERY

Kil-a dos seus já nos braços Da caridade a heroina! Cumprindo a missão divina Entrega á Pátria os trophéos.