Página:A campanha de Canudos.pdf/107

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
a campanha de canudos
103

bateu-se desde 25, a primeira desde 27, mas a 28 — depois de renhidos combates — occupámos o alto da Favella, de onde bombardeámos Canudos. Força muito animada, apezar dos grandes sacrifícios. Breve teremos a victoria. Viva a repu­blica! »

E, realmente, os sacrifícios foram de vulto. Subir com a ar­tilharia serras escarpadas e transpor areiaes profundos; atravessar a catinga, eriçada de arvores espinhosas, que faziam sangrar faces e pés ; ter escasso alimento e sentir falta de roupa e de calçado : eis ahi — num imperfeito summario — o que muitas vezes as circumstancias impuzeram ao soldado repu­blicano. E elle tudo supportou sem desalento, e elle a tudo se resignou com patriotismo e fé. Mas assim mesmo é que uma nação se forma, e um povo se prepara, afim de cumprir os altos destinos que Deus lhe tem reservado !


IV


E a cidadella de Canudos continuava a ser bombardeada ! Depois dar-se-hia o assalto, naturalmente projectado.

Apezar, porém, das medidas de prevenção tomadas, não fôra possivel manter livres as linhas de communicação entre o acampamento e a villa de Monte Sancto, que era aliás a base das operações.

As estradas achavam-se infestadas por grupos de jagunços, armados todos, e todos dispostos a vender bem caro a vida. E esta circumstancia impedia a liberdade de transito, decorrendo dahi grande carencia de mantimentos para provisão das forças expedicionarias.

Como fosse communicada ao governador da Bahia a si­tuação melindrosa, que assim se desenhava, mandou elle guar­necer por destacamentos policiaes Caldeirão, Jueté, Rosario e outros pontos, onde a gente de Antonio Conselheiro costumava se emboscar para melhor aggredir os conductores dos comboios, que passavam transportando viveres.

Monte Sancto, comtudo, ficava desamparada, em virtude da retirada desses contingentes de policia, que até então tinham-