Página:A campanha de Canudos.pdf/121

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
a campanha de canudos
117

28, e a 24 o 4°, ambos estes tambem de infantaria; e, final­mente, a 27 o batalhão de policia do Amazonas.

No dia 22, entretanto, o ajudante general passara ao governador da Bahia o telegramma, que se segue:

« Neste momento recebo telegramma commandante guar­nição sobre necessidade de médicos e pharmaceuticos para força em operações no interior do Estado. Appellando tradicional ci­vismo do povo bahiano, peço vosso valioso auxilio na satisfação de tão urgente necessidade, na parte que vos couber. Saudações.»

Correspondendo pressurosamente ao convite que, em cousequencia deste despacho, lhes dirigira o mesmo gover­nador, as classes medica e academica, de cujos serviços clinicos aliás o Governo já se estava utilisando na capital da Bahia, manifestaram-se dispostas a marchar para Canudos. Dois facultativos, os drs. Virgilio de Araujo Cunha e João Belfort Saraiva de Magalhães, bem como varios estudantes de medicina, se offereceram immediatamente para se reunir â força em operações no interior do Estado.

A 27 de julho uns, e a 3 de agosto os outros, par­tiram todos —afinal: — dois médicos e sessenta e dois academicos para o centro, onde se portaram com abnegação e zelo dignos dos maiores encomios, quer nos hospitaes de sangue, montados em Queimadas e Monte Sancto, quer no acampamento de Favel­la. Para cumulo das contrariedades então sentidas, alguns desses jovens caridosos foram acommettidos de variola, epidemia que grassou com intensidade naquellas villas, obrigando a se abrirem hospitaes de isolamento; mas ahi, junto ao leito dos enfermos os estudantes poupados pela peste se revelaram mais ainda sublimes de dedicação e de amor.

As poucas noticias que a esse tempo chegavam do theatro dos acontecimentos, não eram do natureza a moderar a impaciencia, manifestada do norte ao sul da republica. De mais impor­tante o que se soube foi ter o batalhão 25 de Infantaria avançado até 15 metros da egreja velha, cujo madeiramento — dentro em pouco — ficara reduzido a cinzas, em conse­quencia do fogo que lhe puzera o alferes Adolpho Lopes da Costa.