Página:As organizações no ciberespaço.djvu/44

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


dirigida em função do trabalho, do capital e dos mercados de bens, tal qual na época em que surgiu o marxismo.

Segundo o autor, a sociedade civil possui seu núcleo institucional formado por associações e organizações livres, não estatais e não econômicas e baseiam suas estruturas comunicacionais da esfera pública nos componentes sociais do mundo da vida. É formada por movimentos, associações e organizações que captam os ecos dos problemas sociais privados, condensam-nos e os transmitem para a esfera pública política.

Ainda segundo Habermas (2003), é fundamental aos movimentos sociais que encontrem formas solidárias de organização e esferas públicas que permitam esgotar e radicalizar direitos e estruturas comunicacionais existentes.

Nesse sentido, o sistema político conectar-se-á com a esfera pública e com a sociedade civil por meio da atividade dos partidos políticos e da participação dos cidadãos. Para as associações firmarem sua autonomia e espontaneidade devem se apoiar num pluralismo de diversidade de classes, raças, religiões e culturas. Portanto,

"A proteção da 'privacidade' através dos direitos fundamentais serve à incolumidade de domínios vitais privados; direitos da personalidade, liberdades de crença e de consciência, liberalidade, sigilo da correspondência e do telefone, inviolabilidade da residência, bem como a proteção da família, caracterizam uma zona inviolável da integridade pessoal e da formação do juízo e da consciência autônoma." (HABERMAS, 2003, p.101)

Ainda de acordo o autor, as garantias dos direitos fundamentais não são suficientes para proteger a esfera pública e a sociedade civil de deformações. Portanto, as estruturas comunicacionais da esfera pública devem ser mantidas intactas por uma sociedade ativa dos sujeitos privados.

Habermas propõe que a esfera pública teve seu papel significativamente alterado devido à influência dos meios de comunicação de massa, que estabelecem uma opinião pública imperativa frente à sociedade, e também com a consolidação da concepção liberal do Estado, em que o privado acaba por sobrepujar o público. Segundo Bobbio (1987), a esfera privada aumenta de tal maneira em detrimento da