Saltar para o conteúdo

Página:Batalha de Oliveiros com Ferrabraz.pdf/19

Wikisource, a biblioteca livre

...


-34


Alli no chão apanhdu
lJ111 pedaço de urn escudo
Disse deste eu faço tudo
E co1n aquillo se armou

'

O inimigo esperou
Con1 esse ferro que tinha
Disse quanC:o o turco vinha
Con1 Deus não 1ne fc1lta nc1da
l loje cu torno un1a ~spada
Ou a do turco ou a minha.


Oliveiras viu enlão
Que a sella de Fcrrabraz.
Estava munida de n1ais
Çom espadas no arção,
Co1n toda disposição
Que só quem não tem juizo.
Partiu ao turc9 indeciso
Ser temeridade algun1a,
P11xou pelo cabo uma
Que se chan,ava baptiso.


Agora si1n, estou armado,
Disse ellc a Ferrabraz.
Nas arn1as estamos iguaes
N en ll u 111 fica rf1 n1assado.
Cada qual zele seu lado


 

'

..

 

 

 

-35


Que a batalha vai findar.
E' tempo de aproveilar
A força, a coragem, o jogo,
A batall1a é ferro e fogo
Seja feliz quem ganhar.


Haja tempo, o ferro trôa '
Co111 golpes tão deste111idos,
Das espadas os l,;,nidos


 
Só um trovão qué!ndo sóa
Que o estampido rebóa
Por vãos '\tlc serra e quebradas,
 
Como bon,bas disparadas
Raios de fogo subiam.
Grossas faiscas sabiam
Daquellas duas espadas.
Ferrabraz a resistir
Estava com tanta paixão,
Oliveiras só leão
Quando algue1n quer o ferir,
Disse-va1nos decidir
Esta batalha comprida.
A causa está conheci.da,
Um de nós hoje aqui erra,
E nesse campo de guerra
Um ha de deixar a vida.