Página:Chrysalidas.pdf/129

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
- 127 -



Viver, — fundir a existencia
Em um osculo de amor,
Fazer de ambas — uma essencia,
Apagar outras lembranças,
Perder outras illusões,
E ter por sonho melhor
O sonha das esperanças
De que a unica ventura
Não reside em outra vida,
Não vem de outra creatura;
Confundir olhos nos olhos,
Unir um seio a outro seio,
Derramar as mesmas lagrimas
E tremer do mesmo enleio,
Ter o mesmo coração,
Viver um do outro viver...
Tal era a minha ambição.

Donde viria a ventura
Desta vida? Em que jardim
Colheria esta flor pura?
Em que solitaria fonte
Esta agua iria beber?
Em que encendido horisonte