Página:Contos Tradicionaes do Povo Portuguez.pdf/524

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


portugueza de Trancoso, ou ambos os auctores se serviram de uma lição commum. Esta ultima supposição parece inferir-se do folheto italiano sem data La Novella di Gualtieri, anterior aos dois. O conto de Griselides acha-se no Decameron, de Boccacio, X jornada. Du Méril, investigando as fontes tradicionaes do Decameron, cita os livros em que se acha este conto: Philippo Foresti, De plurimis claris scelestisque Mulieribus, p. 145; Bouchet, Annales d'Aquitaine, liv. III, citam-na com realidade historica. A tradição recebeu a fórma poetica no Lais del Freisne, de Marie de France. (Oeuvres, t. I, p. 138.) Chaucer tratou este assumpto no The Clerkes Tale, e um anonymo no Gualterus and Grisalda; acha-se em uma ballada popular The Nut-Brown; representa-se nos theatros populares da Inglaterra; ha um mysterio francez de 1395, e Hans Sachs compoz uma comedia Die gedultig und gehorsam Marggräfin Griselda. (Vid. Du Méril, Histoire de la Poesie Scandinave, p. 359 e 360.) O conto de Griselida acha-se na tradição popular da Russia, na collecção de Afanasieff, liv. 5, n.º 29, do qual Gubern. dá um resumo.


169. O achado da bolsa. — Acha-se tambem no Patrañuelo, n.º VI, de Timoneda (Ed. Ribadaneyra); no fabliau Du Marchand qui perdit sa bourse (Recueil de Fabliaux, p. 101, da Bibliotheque choisie); nas Novellas de Geraldo Cynthio, X, e no Novellino italiano. O conto de Trancoso, n.º XV, anda como episodio no conto do Justo juizo largamente estudado por Benfey e Köhler, sobre as versões russas, thibetanas, indianas e allemães. Nos Contos nacionaes, n.º III, Porto, 1883, vem uma versão popular portugueza, que nos leva a crêr que Trancoso poucas vezes recorreu a fontes litterarias.


170. O capão tornado sapo. — Cita-se uma variante de Cesario, lib. 60, cap. 22, em que em vez de um sapo era uma serpente.