Página:Diccionario Bibliographico Brazileiro v1.pdf/161

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


no Cruzeiro em outubro deste anno, e vertido em francez pelo proprio autor, foi impresso depois em Paris.

Diccionario classico latino e Portuguez — Esta obra o autor conserva inedita, agnardando opportunidade para dal-a a lume.

Vida e feites do doutor Semana. Rio de Janeiro, 1870.

O doutor Castro Lopes finalmente foi o fundador e primeiro redactor do

Bazar volante: (perindico caricato) Rio de Janeiro, 1863 a 1867 — Apenas o redigiu, porém, por seis mezes, passando a redacção ao bacharel Joaquim José da França Junior e a outros. Seus escriptos ahi são assignados pelo pseudonymo de Petrosculus.


Antonio de Castro e Silva — Natural da provincia do Ceará, onde vivia em 1828, era presbytero do habito de S. Pedro, e homem de abastada fortuna.

Em sua provincia, a que prestara relevantes serviços, exercia o cargo de thesoureiro geral da subscripção mensal dos oitocentos mil réis, quando foi mandado prender em sua casa ás dez horas da noite de 12 de novembro de 1825 por uma patrulha, de ordem do commandante das armas Conrado Jacob de Niemeyer, e recolhido a esta mesma hora a um carcere, accusando-o a mesma autoridade de complice dos, motins politicos que agitaram a provincia. Estés factos levaram o padre Castro a escrever:

Resposta ao manifesto do ex-commandante das armas do Cearã, Conrado Jacob de Niemeyer, contra o padre Antonio de Castro e Silva. Rio de Janeiro, 1828 — E' um opusculo, sem frontispicio, de 20 pags. in-fol. e em duas columnas, onde o autor se justifica da accusação contra si intentada, e reclama da violencia que soffrêra, apresentando em seguida 35 documentos que abonam sua adhesão á constituição e ao throno, sua moralidaàe, etc. Vi esta obra annexa ao n. 111, de 31 de outubro de 1828, da Aurora fluminense.


Antonio Cesar de Berrêdo — Descendente do distincto historiador, Bernardo Pereira de Berrêdo, nasceu na provincia do Maranhão em 1822, e falleceu á 7 de abril de 1879, victima de uma cistite purulenta. Era formado em sciencias sociaes c juridicas pela faculdade de Olinda, proprietario de engenho em sua provincia e escreveu:

Lyra de instantes: poesias .— Não vi este volume; mas sim diversos artigos e composições poeticas de Cesar de Berredo em ravistas e periodicos, dos quaes citarei:

A infancia: (poesia em verso hendecassyllabo solto) — publicada na chronica litteraria, pag. 109.

Hymno ao dia 22 de dezembro: (poesia de metrificação variada) — na mesma revista, pags. 134 a 136.

Deixou ineditos:

Os Mocambeiros: romance.

Direito publico — Esta obra ficou incompleta.