Página:Diccionario Bibliographico Brazileiro v1.pdf/237

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
212
AN


— Oração academica na solemne abertura da escola: central do Brazil, pronunciada em 16 de dezembro de 1858. Rio de Janeiro, 1858, 24 pags. in-4. o - Planta da cidade do Rio de Janeú'o, organizada no archivo militar pelos officiaes do exercito, coronel de engenheirus F. Carneiro de Campos, tenente-coronel de engenheiros doutor A. de Araujo, etc. 1858 - Foi publicada no referido archivo. Ha finalmente diversos artigos do doutor Aranjo no Jomal do Commercio com a as~ignatura de Cavema acustica; no Correio da Tarde as,ignados por Cabeça parlante; no Iris, Novo Tempo, Marmota, Propheta, Daguerreatypo e no Diario do Rio sob o anonymo, ou assignatura figurada.


Antonio José de Araujo Pinheiro — Natural do Rio de Janeiro, falleceu a 3Ó de dezembro de 1881 em Petropolis, onde exercia um emprego na camara municipal. Era tenente da guarda nacional e escreveu: - A beata de mantilha: comelia em um acto. Rio de Janeiro, 187' - Tinha mais composições dest, genel'o, segunlo me consta.


Antonio José Baptista de Luné — Fez o curso de infantaria na autiga escola mililar, e assentanJo praça em 1853, foi promovido a segundo tenente de artilharia em 1866 ; passando a servir na arma, de que tinha. o curso, foi promovido a tenente em 1868, e depois a capitão, po to em que foi reformado em 1871, residindo actualmente em S. Paulo, onde publicoll :

- Almanak da provincia de S. Paulo para 1873. S. Paulo, 1873, 940 pags. in-4"-Bapli~ta LllDé tev0 pOl' companheiro na ol'ganização deste 'important3 livro a Paulo Delfino da Fonseca. Este almanak traz em annexo diversos regulameutos, e a léi que substitue pelo syst ma metrico. francez o systema' de pe os e medidas, artigos sobre a cultura do café, do algodão, e d,l vinha, e muitas outras noticias de utilidade e valor. Não continuou a publicação nos annos successivos por causa da grande espeza que reclamwa ..


Antonio José Caetano da Silva, 1° — Filho de Antonio José Caetano da Si! va e de dona Anna Maria Floresbina e irmão do doutor Joaquim Caetmo da Silva, de quem occupar-me-h -i, nasceu na provincia do Rio Grand' do Sul a 12'de dezembro de 1817 e falleceu na 'côrt a 29 de março de 1865.

Entrando para o funccionalismo publico, serviu muito tempo como empl'eo-ado da alfandega do Rio de Janeil'o, foi inspectol' da de Paranaguá e da de Uruguayana, e e cl'eveu:

- Indicadot· adminislrativo das alfan legas e mesas de rendas on indi e alp!labetico, não só de todas as materias, de que trata o regula