Página:Diccionario bio-bibliographico cearense - volume primeiro.djvu/75

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Tendo feito os estudos preparatórios na terra do berço sob a direcção de seu pai, e em Fortaleza, matriculou-se na Faculdade de Direito de Recife pela qual se bacharelou a 16 de Outubro de 1885. De volta ao Ceará foi nomeado promotor das comarcas de S. Benedicto e Sobral, juiz substituto de Quixadá, Baturité, e S. Benedicto e juiz de direito de S.

Benedicto, e pouco tempo depois de organizada a Academia Livre do Ceará foi-lhe destinada a cadeira de Direito Civil.

E’ tambem professor de Historia Universal no Lyceu do Estado.

O Dr. Antonio Arruda é redactor-chefe da Republica, orgam official, de Fortaleza.

Conheço delle :

—Memória apresentada á Academia de Direito do Ceará, an node 1908, Typo-Lythographia, Fortaleza.


Antonio Alexandrino de Alencar (Mons.or) — Filho de Alexandre da Silva Pereira e D.ª Alexandrina Benigna de Alencar, nasceu em Assaré a 25 de Novembro de 1844.

Sentindo-se propenso á vida sacerdotal, entrou para o Seminário de Fortaleza e ordenou-se a 30 de Novembro de 1867, sendo que em Lavras foi que, como coadjuctor, começou a exercitar seu santo ministério (2 de Fevereiro de 1868).

De Lavras foi em Maio de 1872 transferido para Brejo Secco como coadjuctor e no anno seguinte nomeado vigário da dita freguezia, regendo-a até 6 de Maio de 1885. De Brejo Secco foi removido para Quixadá e de Quixadá para Crato (Fevereiro de 1892), onde permaneceu até Junho de 1900 deixando seu nome eternisado alli na Matriz, Seminário e Casa de Caridade. Por seus bons serviços teve o titulo de Monsenhor a 2 de Janeiro de 1897.

Retirando-se para fóra do Estado, foi capellão até 20 de Abril de 1901 e dahi em diante vigário da freguezia de Picos no Piauhy, cargo em que falleceu victima de moléstia do coração as 3 horas da tarde de 6 de Abril de 1903. O Sul do Ceará de 26 de Abril occupou-se largamente desse acontecimento, que roubou á Egreja um optimo levita.

56