Página:Dom João VI no Brazil, vol 2.djvu/31

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


J)()M JOAO VI NO BRAZIL 595

tentativa para obter a cooperagao portugueza na tarefa de reduzir os insurgentes platinos: tao ancioso de resultado esse esforgo, que se compromettia a corte de Madrid a faci- litar a demarcacao pendente das fronteiras dos dominios das duas coroas no Novo Mundo.

O apoio da corte do Rio parecia pois precioso ao go- verno hespanhol para uma politica de resistencia, de que cogitava, quando a outros, de fora, apreciando porventura rnelhor a situagao, mais garantia de exito se afigurava offe- recer uma politica de composigao. O representante francez no Brazil, por exemplo, entendia que si Fernando VII for- mulasse concessoes e as mantivesse em energia, nao seria cousa impossivel sujeitarem-se as provincias rebeldes, mesmo sem derramamento de sangue, porquanto "a ma administra- cfio dos governantes, suas continuadas dissensoes e insacia- vel cobiqa teem consideravelmente fatigado e descontentado a multidao; seis annos ha que aquellas provincias sacudiram a auctoridade da metropole e que os sentimentos se exalta- ram, e homern algum de cabeca ainda se apresentou que haja sabido dominar os espiritos, dar consistencia as suas institui- coes nascentes e tirar partido das disposicoes favoraveis que Ibes testemunham os agentes de uma grande potencia" (i). Si houvesse surgido um semelhante chefe, ja a Hespanha teria perdido para todo sempre as provincias rebelladas, opi- nava Maler, sem se estabelecer o cangago merce da incapaci- dade e vicios dos que se achavam a frente da revolugao. A composiqao impunha-se dado o estado de inquietagao e de anarchia que prevalecia, gerado pelo espirito faccioso e pai- xoes odientas, mas tornavam-na impossivel os proprios chefes realistas, os quaes, a par das suas crueldades, apenas exhibiam

��(1) Oflficio de 12 de Novembro do 1815.

�� �