Página:Dom João VI no Brazil, vol 2.djvu/32

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


596 DOM JOAO VI NO BRAZIL

fraqueza e insufficiencia nos meios de arcar com a situa- gao (i).

Identicas foram as impressoes de Luxemburgo, quando chegou. "A desintelligencia manifestou-se entre os chefes apoz os ultimos acontecimentos militares, informava o em- balxador; o congresso de Tucumam dissolveu-se antes de conseguirem por-se de accordo os deputados das provincias insurrectas. Os proprietaries nao aspiram senao a submet- ter-se, ou melhor, imploram os meios de se desembaraca- rem do furacao revolucionario que se agita e carrega a des- truigao onde quer que attinge" (2).

Em verdade ja era tarde para uma reconciliagao. A idea de emancipagao caminhara muito para poder recuar, e tao geraes, tao Concordes, tao decididas estavam sendo suas manifestagoes que Ihe imprimiam, junto com as marcas que ostentava de espontaneidade e de solidariedade moral, e mau grado a reacgao produzida, o cunho da irrevogabilidade. A s proprias colonias, a saber, ao seu povo, ficara devolvida a tarefa de preservar sua integridade e autonomia, e ellas assim o entenderam e acabaram por executar a risca.

Em Buenos Ayres Balcarce foi derribado em Junho de 1816, accusado de se nao occupar assaz de fazer f rente as emergencias; Pueyrredon, uma vez passado o prirneiro en- thusiasmo da sua elevacao, nao escapou aos commentarios de traigao : todos os governantes, sem excepgao, seriam com- pellidos pela opiniao, diga-se antes pelo instincto publico, a precaverem-se e garantirem a liberdade e com ella a inde- pendencia. Nada, pode affirmar-se, fez mais do que esta ancia popular para radicar nos espiritos o ideal republicano

��(1) Off. cit.

1 12 1 Arch, do Min..dos <Nog. Es-t. de Franca.

�� �