Página:Dom João VI no Brazil, vol 2.djvu/40

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


604 DOM JOAO VI NO BRAZIL

local. Na grave crise d>e 1816 procedeu Pueyrredon com vigor e patriotismo, ao mesmo tempo que com discerni- mento. Elle pretendeu com effeito oppor a invasao es- trangeira o concurso unido de Montevideo, de Artigas e das Provincias Unidas, quando o Congresso de Tucuman dava ao deputado Irigoyen, encarregado de uma missao no Rio de Janeiro, instrucc,6es que comegavam altivas pela solu- gao do reconhecimento da independencia das Provincias Uni das e manutencao da inviolabilidade do seu territorio, para descerem, passando pelas varias hypotheses monarchicas, ate a recolonizacao do vice-reinado, ignominiosamente transfe- rido da tyrannia hespanhola para o jugo portuguez (i).

Em nome da vontade soberana das Provincias Unidas da America do Sul, reunidas em assemblea representativa, e em virtude do seu mandato ponderou o director, em carta dirigida ao general em chefe portuguez, que considerava a aggressao uma infracgao do armisticio de 1812, o qual fora celebrado espeaialmente em vista da Banda Oriental. O caudilho uruguayo a ninguem delegara corntudo o cuidado de formular a sua rcpulsa. De facto existia, apezar da igual- dade de interesses em f rente ao inimigo commum, pro- funda antipathia entre os Jnsurgentes das duas margens, acabando mesmo o governo de Buenos Ayres de aproveitar-se das difficuldades de Artigas para mandar occupar a cidade de Santa Fe, de que este se achava de posse.

Ao emissario adrede mandado por Pueyrredon, Nicolao de Vedia, respondeu o caudilho com sobranceria que se de- senvincilharia desajudado ; que o governo de Buenos Ayres estava em maos tao fracas e incapazes que d ahi nao poderia

��( 1 ) Mil re. III*!.

�� �