Página:Dom João VI no Brazil, vol 2.djvu/54

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


618 DOM JOAO VI NO BRAZIL

Vianna, primeiro camarista de Dom Joao e ex-command ante da estagao naval do Rio da Prata, para ser apresentado e lido ao Rei.

Artigas, ao que presumia o general portuguez, teria entao comsigo uns 700 homens, e como as disposigoes dos ha- bitantes entravam a ser mais geralmente sympathicas aos occupadores a medida que se restringia a auctoridade do cau- dilho, comegava Lecor a tir.ar partido da mudanga, forne- cendo armas aquelles habitantes e organizando-os em guerri- Ihas. "Nao nutro mais inquietagoes, escrevia textualmente o commandante em chefe da expedigao, sobre o successo das minhas operates: o que mais me preoccupa neste momento e a vigilancia dos Hespanhoes". ( I ) Suas palavras claramente significam que era mais difficil de veneer na Banda Orien tal o sentimento realista e metropolitano do que o revolucio- nario e nacionalista.

Durante a occupagao portugueza, nos annos correspon- dentes ao reinado americano de Dom Joao VI, esteve Monte video bem longe de permanecer tranquilla: sua situagao foi antes de uma constante agitagao, posto que mais surda do que activa. Fervilhavam as conspiracies de militares e civis hespanhoes, de emigrados e agentes clandestinos de Buenos Ayres e de partidarios de Artigas, uns para restabelecerem o antigo dominio castelhaiio, outros para levarem a Banda Oriental a fazer juncgao com o coro de independencia progressivamente entoado por toda a America Hespanhola, outros ainda para Ihe assegurarem a completa autonomia.

Existem numerosas representagoes do Cabildo de Mon tevideo (2) insistindo por medidas de rigor, propondo de*

��(1) Relat. cit.

Arch, do Min. das Rel. Ext.

�� �