Página:Dom João VI no Brazil, vol 2.djvu/82

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


616 DOM JOAO VI NO BRAZIL

entregando-se por esse mesmo motive e com novo ardor aos

��mesmos excesses. 5

��Sciente d esta execragao, que nao pedia licenga para ma- nifestar-se, e no intuito de se sustentar e que o governo por- tuguez poupava o governo rebelde de Buenos Ayres, usando com elk,- no dizer do embaixador d Hespanha, de considera- goes que sao somente devidas a auctoridade legitima. Em verdade a corte do Rio conhecia ja a tendencia dos senti- mentos coloniaes e nao procedia mais as cegas, como D. Ro- drigo de Souza Coutinho com suas intimativas feitas ao desembarcar e que so serviram para provocar o vivo orgulho da raga hespanhola.

Em Marco de 1817 dera-se a insurreigao de Pernam- buco e tanto o gabinete de Madrid como as potencias media- neiras a quizeram a fina forga relacionar com a occupagao da Banda Oriental, attribuindo a possibilidade da sedigao a escassez no Brazil de tropas regulares produzida pela applicagao no Sul da politica imperialista de Dom Joao VI. A sedigao pernambucana proporcinou, na sua explicagao, en- sejo a Fernan Nunez para um rasgo de emphase castelhana que fosse pautada por uma subtiieza italiana. "O estado de perturbagao em que presentemente se encontra uma parte do Brazil e cujas consequencias podem resultar as mais funestas, serve para provar altamente a grandeza d alma do Rei meu Senhor e demonstrar toda a generosidade de que elle faz uso nas suas deliberates : S. M. Catholica tern pressa de fazer conhecidos seus desejos de que as Potencias alliadas queiram conjunctamente occupar-se da urgente ne- cessidade que ha de destruir esse espirito revolucionario, o qual compromette a seguranga do Brazil e a do throno de S. M. Fidelissima, como igualmente se oppoe a felicidade de

�� �