Página:Espontaneidades da minha alma.djvu/87

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

— 87 —

E era tão meigo esse som
Que no peito m’echoava —
Que julgava anjo do céu
Quem nest'hora me fallava:

«Porque triste, triste sentes
«Da existencia o dissabor?
«Porque choras gemebundo
«Teus tormentos, tua dôr?

«Queres que eu Fada soletre
«Tuas magoas — tua dôr? —
«São apanagios da terra —
«É saudade — é desamor!

«Descrido assim no mundo
«Não sejas — crê e espera;
«Pois que o tempo nas saudades
«Muitas vezes as tempera!

«Eu sou planta e tambem sinto
«Da saudade o crú rigor —
«Quanta vez de balde espero
«P’ra regar-me o horticultor?

«Quanta vez era dias turvos —
«Anhélo os raios do Sol —
«E quaes nuncios desta vinda
«Os cantos do rouxinol? —