Página:Flora pharmaceutica e alimentar portugueza.djvu/40

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


3Z FLORA PHARMACEUTICA laçoes com verticilladas escamas; radíciílas fel- pudas , algumas alternadamente ramosas , as extremas cau li feras , á superfície do terreno, algumas vezes quasi empubescidas. Habita nos terrenos calcareos , quasi arenosos do Algarve entre Lagos e Cabo de S. Vicente. Floresce em Abril , Maio , e Junho. Percnne. Sabor quasi doce; inodora; côr amarellada. Esta planta não se acha nos catálogos de Mat. Mc d. ; mas , segundo o Doutor Brotero , promettc algumas utilidades como ynedic amento. O mesmo Botânico a reputa ynédia entre as Schcrardias e Asperulas, e du- vida se he congénere das primeiras; mas pela sua affJnidade com as Asp. Tinctoria e Hcxaphylla a refere ás Asperulas, das quaes differe ^ como se Dê na descripção que da desta Aspe- rula na Phyt. Lusitanica , e alem dis- to , de nenhuma for da corolla trifcn- dida , das folhas intermédias nunca quatro a quatro ; neyn as superiores vppostas com duas minimas e setaceas^ se vê a diferença entre esta ed. Asp. Tinctoria , sendo esta toda glabra , de caules semi-palmares^ ramosos unica- mente em algumas na base , e no resto simplices. Não tem esta Asp. o invó- lucro das fores de dez ou doze folio- los , jiem as sementes oblongas como a Asp. hexaphylla d^Alltom. Veja-se Phyt. Lusitanica pag. 25.