Página:Flora pharmaceutica e alimentar portugueza.djvu/49

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


E ALIMENTAR PORTUGUEZA. ' /^t Flores rentes , fendidas em cinco lacinias , guar- necidas de bracteas. Pharm. herva. He também parasitica ; consta de filamentos ou cauliciilos mais delgados, louros, mais tenra em todas as suas partes. O vegetal a que prin- cipalmente adhere he o tomilho ( Thymus 'vulgar is Lin.) donde lhe vem o nome epithy- mum , e por isso he vulgar nas montanhas da Europa mais quente, e talvez nas nossas, por isso a ajunto aqui ; mas a que se acha nas of- íicinas vem da Ásia menor ou da Creta ; e por isso se chama Epithymo Cretico. O sabor, e a virtude dirivão-se da planta em que vegeta , de maneira que tem o sabor e cheiro da planta primaria , porém mais débeis. Inodora, o sabor he diíFerentemente descripto pe- los authores ; acre , e quasi adstringente por Geofroy; amaricante por Linneo ; insípido, e mucido , mas que provoca a saliva , por Als- ton : dá hum espirito acidulo, análogo ao aci-' do nitrico, porém mais brando. o R D E M 4.* THragynia, Ilex, Calyx de quatro dentes , minimo, persistente; corolla arrosetada, partida em quatro lacinias, estylete nullo ; estigmas quatro ; baga quasi redonda ^ de quatro ceilulas , quatro sementes, F