Página:Obras de Manoel Antonio Alvares de Azevedo v1.djvu/292

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
— 282 —

Não me deixes assim dormir solteiro,
À meia-noite vem ceiar comigo!




II

MEU ANJO


Meu anjo tem o encanto, a maravilha
Da espontânea canção dos passarinhos...
Tem os seios tão alvos, tão macios
Como o pêlo sedoso dos arminhos.
 
Triste de noite na janela a vejo
E de seus lábios o gemido escuto...
É leve a criatura vaporosa
Como a frouxa fumaça de um charuto.
 
Parece até que sobre a fronte angélica
Um anjo lhe depôs coroa e nimbo...
Formosa a vejo assim entre meus sonhos
Mais bela no vapor do meu cachimbo.