Página:Obras de Manoel Antonio Alvares de Azevedo v2.djvu/287

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


virgem! se acaso um só momento de tua vida tu consagraste um suspiro ao desgraçado, se um só momento tu o amaste,-ah! que Deus em paga desse instante te dê um infinito de ventura!

A Italiana: Penseroso! Que tens? Nunca te vi assim. Eras pensativo e estás sombrio. Eras melancólico e estás triste. Que tens, que me não confias? Não sou eu tua noiva?

Penseroso: Ó senhora! Se uma eternidade se pode comprar por um sonho, o sonho que me embalou na minha existência bem valeta ser comprado por uma eternidade!

A Italiana: O teu sonho é o meu-é o nosso amor-a minha vida por ti, a tua vida por mim: nós dois formando um único ser, uma única alma, um mundo de delícias e de mistério só para nós e por nós!

Penseroso: Oh! senhor e acordar!

A Italiana: Então . . .

Penseroso: Meu Deus! meu Deus! perdoai-me. Adeus! adeus! (