Página:Versos da mocidade (Vicente de Carvalho, 1912).djvu/64

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


42
VERSOS DA MOCIDADE


Hoje, meiga, talvez arrependida, voltas
Procurando em minh’alma um pouco do passado,
Tentando reunir aquelas folhas sôltas
Em que atiraste ao vento um sonho desfolhado.

Não volta ao galho a flor que desprendeste da haste,
Não volta a minha fé. Tu, coração travesso,
Coração de mulher, lembras-te de que amaste...
Eu não mendigo amor! Eu amo-te... e padeço.

Esta página contém uma imagem. É necessário extraí-la e inserir o novo arquivo no lugar deste aviso.