Pacotilha poetica/Se é dos taes que padecem por ciumes

Wikisource, a biblioteca livre
< Pacotilha poetica
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pacotilha poetica
Se é dos taes que padecem por ciumes


SENHORAS

2 Não póde o triste e mesquinho
  Para moça alguma olhar,
  Soffre até puxões de orelha,
  Sem um soluço soltar.

3 Triste cousa é ser marido
  De mulher muito barbuda;
  Tem ciumes, porém quer
  Ter-se em conta de sisuda!

 4 Não tendes, sois boazinha;
  Lá uma dôr de canella,
  E' cousa commum a todas;
  E' cousa de bagatella.

5 Eu vos quizera; senhora,
  Dizer tudo nú e crù...
  Mas vergonha é ter ciumes
  Da negra que vende angú.

6 Ha uns que vendem saude,
  Como se diz por costume,
  Outros que vendem gordura,
  Porém vós vendeis ciume.

7 Vossas canellas são finas
  Das dores que têm soffrido;
  Até vosso coração
  'Stá de ciume roido.

HOMENS

2 De ciume atormentado
  Por uma bruxa que eu sei,
  Cincoenta dias de vida
  Por certo não vos darei.

3 Sois em tudo um agua morna.
  Oh! nada vos faz azia!
  O que aos outros causa mágoas
  Talvez vos désse alegria.

4 Ciume, quem o não tem?
  Por elle sereis ferido,
  Pois que por certo menino
  Sereis inda preterido.

6 Se sois? Porém, meu amigo,
  Essas dores de canella,
  Dizem que vos paga bem
  A vossa estimavel bella.

6 Sois; porém eia, caluda,
  Que ella não é para graça,
  Pois promette assaz curar-vos
  Se inda mal vos ameaça.

7 Sois em casa, no theatro,
  Sois no baile, sois na rua;
  A causa é o vosso juizo
  Estar no mundo da lua.

SENHORAS

8 Quem diz mulher ou senhora,
  Diz ciume sem querer,
  Pois que mulher sem ciume
  Ainda estou para ver!

9 Bravo! Bravo! Vós, senhora,
  Trazeis a pulga na orelha,
  Que o méco hoje se derrete,
  E por quem? Por uma velha.

10 Não tendes porque, senhora,
  Tendes culpa no cartorio;
  Elle só os deve ter
  Cá por um certo amatorio!

11 Homem feliz, vós não tendes
  Delle o ciume menor,
  E entretanto que com outra
  Reparte elle o seu amor!

12 No baile que deve haver
  Vereis — e bem chorareis;
  Mas caluda, que ella é feia,
  E bem vingada sereis!

HOMENS

8 Sois, mas não em demasia,
  Gostais só de temperar;
  Cuidado! se não salgada
  A comida haveis de achar.

9 Não sois, e o porque sabeis,
  E discorreis com razão,
  Que elle é bello, e ella deve,
  Mais que a vós... porém chitão.

10 Tivestes ciume um dia,
  Mas fostes tão espancado,
  Que o ciume é água fria,
  E vós sois gato escaldado!

11 Sois ciumento, e no emtanto
  Como vós dissimulais!
  Sois dos taes que tendo odio,
  Ainda fingis que amais!

12 Tendes ciume p'ra que
  Ella não tenha de vós;
  Vosso amor com essa actriz
  E' um erro mais que atroz.