Pacotilha poetica/Se deve armar laço a alguma herança

Wikisource, a biblioteca livre
< Pacotilha poetica
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pacotilha poetica
Se deve armar laço a alguma herança


SENHORAS

2 Não, senhora, que sois bella,
  E com certo sujeitinho,
  Casareis, e ricamente,
  Por causa do dotesinho.

3 Não, que não sabeis da cousa,
  E jámais entendereis;
  E por isso do que tendes,
  Senhora, não passareis.

4 Não, que sereis mal vista,
  E em tal não penseis mais;
  Contentai-vos pois portanto
  Com a herança de vossos pais.

5 Quando fôrdes como muitos,
  Herdareis dos Ferrabrazes,
  E passareis como muitos
  Por pessoas mui capazes.

6 Não, que tal não convém, não,
  Ao vosso futuro estado,
  Que dará glorias á patria
  Por mui rico e abrilhantado.

7 Que? E tambem pretendeis?
  Isso é loucura, senhora,
  Sois tão boa, que acredito
  Que do sério sahis fóra!

HOMENS

2 Não, que vós não fazeis parte
  Dos mysterios do Brazil,
  Nem sabeis a bons legados
  Armar infallivel ardil.

3 Não, que não o mereceis,
  Que nunca sois dos taes
  Que herdam dos desconhecidos
  Como nós de nossos pais.

4 Sim, e duvida não ha,
  Pois tambem podeis herdar
  De Ferrabrazes e outros,
  Sem muita inveja causar.

5 Sim, que de uma velhinha
  Sereis ainda o herdeiro;
  Deixar-vos-ha seu enterro,
  Que ella é virgem de dinheiro.

6 Não, e quem tal o fizesse
  Em que mãozinha cahia!
  Ah! Quem de vós se fiar,
  De todo o mundo se fia.

7 Não, que ainda sois um tolo,
  E não sabeis grangear;
  Olhai que é preciso arte
  Para bem saber herdar.

SENHORAS

8 Sim, que deveis esperar
  Ainda famosa herança;
  Porfiai pois no namoro,
  Quem porfia tudo alcança.

9 Não; que nada obtereis
  Nesta vida transitoria;
  Mas tudo, tudo, senhora,
  No alto reino da Gloria.

10 Se do céo, senhora, herdastes,
  Uma alma toda candura,
  E' quanto no mundo basta,
  A' vossa total ventura.

11 Não, que senhoras não sabem
  Essas cousas arranjar,
  Para estima co'as heranças
  Neste mundo grangear.

12 Não, que nunca convirá
  Senão repartir por poucos;
  Por dar Deus juizo a muitos
  E' que vemos tantos loucos.

HOMENS

8 Quando fôrdes mais esperto,
  Herdareis muitos milhões,
  Mas sentido não vos roubem
  Com cem annos de perdões.

9 Sim, que perdido vemos
  P'ra isso temor de Deus;
  Eu sómente desculpara
  Se fôra de alguns judeus.

10 Vós sabeis que o não deveis
   E me vindes perguntar?
   Não tendes melhor herança?
   Não estais para casar?

11 Não, que descoberto o caso
   Havereis de repôr,
   E era pena depois
   De ao ouro terdes amor.

12 Não... porque... porém caluda!
   A cousa é assumpto serio!
   Olhai, aqui para nós,
   Isso tudo é um mysterio!