Pacotilha poetica/Se tem ambição sordida ou nobre

Wikisource, a biblioteca livre
< Pacotilha poetica
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pacotilha poetica
Se tem ambição sordida ou nobre


SENHORAS

2 Muito nobre, desejais
  Até baroneza ser;
  Porém os vossos desejos
  Completos não heis de ver.

3 Será nobre, desejardes,
  Casar-vos com um villão,
  Só porque ganhou dinheiro
  Com a unha que tem na mão?

4 Sendo vós tão delicada,
  Morreis por negociar
  Em cabeça de alcatrão,
  Que vão-se á Costa buscar.

5 E' nobre; que amais a um nobre
  Filho de um rico barão,
  Mas lembrai-vos, senhora,
  Que seu pai já foi villão.

6 Só na infausta loteria
  Se mira a vossa ambição,
  Tantos logros que levais
  Vos não servem de lição.

7 Nobre pois é bem sabido
  Como amais a um barão;
  Quereis ser pois baroneza!
  Esperai a occasião!

HOMENS

2 Na avareza da ambição
  A vossa alma se mantem;
  Sois capaz de vos matar
  Só por causa de um vintem.

3 Muito nobre! brevemente
  Novo Galvani teremos,
  E dos tigres na carroça
  Qual cocheiro vos veremos.

4 Não sei; ganhais e ganhais
  Para gastardes com quem?
  Com uma tal caboclinha
  Que nem assim vos quer bem

5 Deve sempre um cavalleiro
  Ter muito nobre ambição,
  Mas no jogo, meu amigo,
  Se estriba a vossa paixão.

6 Sordida, e bem que ajuntais
  Vossas meias pataquinhas,
  Por isso viveis comendo
  Carapicús e sardinhas.

7 Muito sordida! Desejais
  Dinheiro para descontal-o,
  Quando sois um miseravel
  Té sem geito p'ra ganhal-o.

SENHORAS

8 Bella sois, e é mui puro
  Vosso amavel coração,
  Somente da gloria e fama
  Vos atormenta a ambição.

9 Desejais ser deputada,
  Mas ai, pobre da nação,
  Pois mulher vós falarieis
  Por tres mezes de sessão.

10 Sois avarenta, senhora,
  E por vossa perdição
  Vossos bens ao vosso esposo,
  Serão bens de sacristão.

11 Todos, todos neste mundo
  Lá tem o seu quiprocó
  Quereis ser rica, senhora,
  Casando com um tal socó?

12 Muito nobre; dia e noite,
  Na mente parafusais
  Se achareis um bom consorcio,
  E, senhora, nada achais.

HOMENS

8 Boa, sublime, nobrissima,
  Que dareis á patria gloria,
  Que já pelo vosso nome
  Esperam paginas da historia.

9 Seteis grande neste mundo
  Segundo a vossa ambição,
  Mas apezar dos pezares,
  Não passareis de um villão.

10 Quem nasceu para dez réis
  Jamais chega a ser vintem;
  De grande quereis a fama,
  Sendo zero ou um ninguem.

11 Desejais um dote rico,
  Desejais bom casamento,
  No emtanto que uma crioula
  E' o vosso entretenimento.

12 Sordida! Vossa fortuna,
  Meu amigo, tem mandinga!
  E vós todo, roupa, e tudo
  Transpirais buçal catinga.