Peregrinaçam/XXX

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Peregrinaçam por Fernão Mendes Pinto
CAP. XXX. Como esta Raynha de Aarû ſe partio de Malaca para Bintão, & do que paſſou com el Rey do Iantana.


O

Vuindo Pero de Faria o que eſta deſconſolada Raynha publicamente lhe diſſe, a qual lhe trouxe aly tambem à memoria as obrigaçoẽs que tinha para lhe fazer o que lhe pedia, alcançado elle de ſeu deſcuydo, & quaſi corrido por eſta falta em que tinha caydo, lhe reſpondeo, que em ley de Chriſtaõ, & em ſua verdade lhe affirmaua, que ja ſobre eſte caſo tinha eſcrito duas vezes ao Viſorrey, & que ſem falta nenlhũa eſperaua aquella monção por gente & armada ſe na India não ouueſſe trabalho que o eſtoruaſſe, pelo que lhe aconſelhaua, & pedia muyto por merce, que por em tanto ſe deixaſſe eſtar aly em Malaca, ate que eſte pouco tempo lhe moſtraſſe aquella verdade. E replicando ella ſobre a incerteza de poder ou não poder vir eſte ſoccorro, quaſi que ſe agaſtou Pero de Faria, por lhe parecer que deſconfiaua ella da ſua verdade, & ſoltando com eſta colera algũas palauras mais ſecas do que era razão, a deſconſolada Raynha ſe lhe arraſaraõ os olhos dagoa, & com as maõs leuantadas para o Ceo, & os olhos poſtos na porta da igreja, que eſtaua hum pouco defrõte, com tantos ſoluços que quaſi não podia fallar, diſſe. Fonte limpa he o Deos que naquella caſa ſe adora, de cuja boca procede toda a verdade, mas os homẽs da terra ſaõ charcos de agoa turua, em que por natureza continuamente moraõ deſuarios & faltas, pelo que ſe deue de auer por maldito o que confia no bocejo dos ſeus beiços. Porque vos affirmo ſenhor Capitão que deſque me entendi atégora, nenhũa outra couſa tenho viſto, nem ouuido, ſe não que quãto os deſauenturados como meu marido & eu mais fazem por vos os Portugueſes, tanto menos fazeis vos por elles, & quanto mais deueis, menos pagais, pelo que infirindo daquy, o q̃ claramente ſe pode affirmar, he, que o galardão da nação Portugueſa mais conſiſte, & mais pende da aderencia que do merecimento da peſſoa. E prouuera a Deos que o que eu agora
conheço de vos por meus peccados, conhecera el Rey meu marido agora ha vinte & noue annos, porque nẽ elle viuera tão enganado com voſco como viueo, nem em fim ſe viera a perder por voſſa cauſa, como ſe perdeo. Mas ja que iſto aſsi he, hũa ſó couſa me reſta agora para conſolação de minhas queixas, que he ver muytos tão eſcandalizados da voſſa amizade quanto a pobre de mim agora ſe vê. E ſe vos não atreuieis, ou não querieis darme eſte ſocorro, paraque vos penhoraueis taõ leuemente com eſta deſconſolada molher taõ orfam do que pretendia, & do que lhe pareceo que achaſſe em vos, quão enganada agora ſe acha com a liberalidade das voſſas promeſſas. Apos eſtas palauras virou logo as coſtas ao Capitão, & ſem o querer mais ouuir, ſe tornou para ſu caſa. E mãdãdo logo fazer preſtes as ſuas embarcaçoẽs, ſe partio ao outro dia para Bintão, onde naquelle tempo eſtaua el Rey do Iantana, o qual, ſegundo ſe diſſe deſpois em Malaca, lhe fez muyto grandes honras, & ella lhe deu conta do q̃ paſſara cõ Pero de Faria, & de quão perdidas trazia as eſperanças da noſſa amizade, & lhe relatou por extẽſo todo o proeeſſo, & o ſucceſſo do negocio. A que el Rey dizem que lhe reſpondeo, q̃ quãto ao que dezia da pouca verdade que achara em nòs, ſe não eſpantaua, nem ella ſe eſpãtaſſe, porque em muytas couſas o tinhamos moſtrado ao mundo, & para confirmaçaõ diſto lhe trouxe então algũs exemplos particulares de couſas que elle diſſe q̃ paſſaraõ por nos, os quais inda que à primeyra viſta parecia que fazião a ſeu propoſito, todauia como elle era Mouro, trababalhou por afear as noſſas couſas de tal maneira, que as fez parecer muyto mais feas, & muyto mais graues do que ellas eraõ. E deſpois de lhe contar muytas couſas noſſas muyto mal feitas, a que chamaua mentiras, roubos, tyrannias, & lhe punha outros muytos muyto maos nomes, ſem tratar das rezoẽs & desculpas q̃ aquellas couſas podião ter por ſy, inda q̃ realmente foraõ tão abominaueis como as elle fazia, lhe veyo em fim a dizer que elle lhe prometia, a ley de bom Rey & de bom Mouro, que ella ſe viſſe muyto cedo por ſeu meyo delle reſtituyda a todo ſeu reyno, ſem lhe faltar hum ſó palmo da terra. E que para ella eſtar certa & ſegura niſto que lhe prometia, elle era contente de a receber por molher, ſe ella quiſeſſe, porque deſta maneyra lhe ficaua a elle aução & juſtiça contra o Rey do Achem, com o qual era forçado vir por ſeu reſpeito della a rompimento de guerra, ſe liuremente não quiſeſſe deſiſtir do que lhe tinha tomado, ao que ella reſpondeo, q̃ ainda que a honra do que lhe cometia era muyto grande para ella, a não aceitaria ſe em dote & arras lhe não prometeſſe a vingança da, morte de el Rey ſeu marido, porque lhe affirmaua que iſſo era ſomente o que pretẽdia, & que ſem iſſo não aceitaria ſer ſenhora do mundo. El Rey, por conſelho dos ſeus, lhe aceitou eſta condição

, & lha prometeo com juramẽto ſolenne, tomado num liuro da ſua ſeita em que pòs a cabcça para retificação da promeſſa que lhe fazia.