Tractado da Terra do Brasil/II/VII

Wikisource, a biblioteca livre
< Tractado da Terra do Brasil‎ | II

Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Cap. 7.º da Condiçaõ E Custumes dos indios da terra.

 

Naõ se pode numerar nem comprẽder a multidaõ do barbaro gentio que semeou a natureza por toda esta terra do brasil por que ningem pode pello sertaõ dentro caminhar seguro, nẽ passar por terra onde naõ ache pouoações de indios armados contra todas as naçoẽs humanas, Eassi como saõ muitos permittio Deos que fossem contrarios hũs dos outros, E que ouuesse antrelles grandes odios E discordias porque se assy naõ fosse os portugeses naõ poderĩa viuer na terra nem seria possiuel, conquistar tamanho poder de gente, Auia muitos destes indios pella costa Junto das capitanias, tudo enfim estaua cheo delles quando começarão os Portugeses apouoalla terra, mas porq̃ os mesmos indios se alleuãotauaõ contra elles E faziaõ lhes muitas treiçoẽs, os gouernadores E capitaẽs da terra destruiraõ nos pouco apouco e mataraõ muitos delles, outros fogiraõ pera o sertaõ, E assy ficou a costa despouoada de gentio aolongo das capitanias. Junto dellas ficaraõ algũas aldeas destes indios que saõde paz e amigos dos portugeses.

Alingoa deste gentio toda pella costa he huã: careçe de tres letras-s-naõ se acha nella f, nem L, nẽ R, cousa digna despanto, porq̃ assy naõtem se nẽ lei, nẽ Rei e desta maneira viuẽ sem Justiça e desordenadamte. Estes indios andaõ nũs sem cobertura alguã assi machos como femeas naõ cobrẽ parte nenhũ de seu corpo e trazem descuberto quanto a natureza lhes deu. Viuẽ todos em aldeas, pode auer em cada huã sete oito casas, asquais saõ compridas. feitas amaneira de cordoarias e cadahuã dellas está chea de gente duã parte e doutra, e cada hũ por sy tem sua estançia e sua Rede armada emque dorme e assy estaõ todos hũs junto dos outros por ordem, e pello meyo da casa fica hũ caminho aberto pera se seruirẽ. Naõ ha comodigo antreelles nenhũ Rei nẽ justiça somẽte em cada aldea tem hũ prinçipal q̃ he como capitaõ aoqual obedeçẽ por vontade e naõ por força, morrendo este prinçipal fica seu filho no mesmo lugar naõ serue doutra cousa se naõ dir cõ elles a gerra e conselhallos como sehaõ dauer na pelleja, mas naõ castiga seus erros nẽ manda sobrelles cousa alguã contra sua vontade. Este prinçipal tem tres quatro molheres, a primeiratẽ em mais conta, e faz della mais caso que das outras, Isto tem por estado e por honrra. Naõ adoraõ em cousa alguã nẽ tem pera sy que ha na outra vida gloria pera os bõs, e pena pera os maos, tudo cuidaõ que se acaba nesta e que as almas feneçem com os corpos, e assi viuem bestialmẽte sem ter conta nẽ pezo, nẽ medida.

Estes indios saõ mui bellicosos e tem sempre grandes gerras hũs contra os outros nunca se acha nelles paz nẽ he possiuel auer antrelles amizade porque huãs nasçoẽs pellejaõ contra outras e mataõse muitos delles, e assy vai creçendo o odio cada vez mais e ficaõ imigos verdadeiros perpetuamente. As armas com que pellejaõ saõ arcos e frechas a cousa que apontarẽ naõ na erraõ, saõ mui çertos com esta arma e mui temidos nagerra, andaõ sempre nella exerçitados. e saõ mui inclinados apellejar e muy vallentes e esforçados contra seus aduersarios, e assy pareçe cousa estranha ver dous tres mil homẽs nus dũa parte e doutra cõ grandes assubios e gritta frechando hũs aos outros, e enquanto dura esta pelleja nũca estaõ com os corpos quedos meneãdose duã parte pera outra com muita ligeireza pera que naõ possaõ apontar nẽ fazer tiro em pessoa certa alguãs velhas custumaõ apanharlhes as frechas pello chaõ e seruillos emquanto pellejaõ. Gente he esta mui atreuida e que teme muito pouco amorte, e quando vaõ agerra sempre lhes pareçe que tem çerta a Victoria e que nenhũ de sua companhia ha de morrer, e quãdo partem dizem vamos matar sem mais consideraçaõ e naõ cuidaõ que taõbem podem ser vençidos. Naõ daõ vida anenhũ catiuo todos mataõ e comẽ, emfim que suas gerras saõ mui perigosas, e deuẽ se ter em muita conta por que huã das cousas que desbaratou muitos portugeses foi a pouca estima em q̃ tinhaõ agerra dos indios e o pouco caso que faziaõ delles e assy morreraõ mtos miserauelmente por naõ se aperçeberẽ como comuinha, destes ouue muitas mortes desestradas: E isto aconteçe cada paço nestas partes.

Quando estes indios tomaõ algũs contrarios sellogo comaquelle impito os naõ mataõ leuaõ nos viuos pera suas aldeas (ou seiaõ portugeses ou quaisquer outros indios seus imigos) E tanto que chegaõ a suas casas lançaõ hũa corda muj grossa ao pescoço do catiuo pera que naõ possa fogir, e armaõ lhe huã Rede em que durma e daõ lhe hũa india moça a mais fermosa e honrrada que ha naldea pera q̃ durma com elle, e tambem tenha cuidado de o guardar, e naõ vay pera parte que naõ no acompanhe. Esta india tem cargo de lhe dar muito bem de comer e beber, e de pois de oterẽ desta maneira sinco ou seis meses ou o tempo que querẽ determinaõ de o matar, e fazem grandes serimonias e festas aquelles dias e aparelhaõ muitos vinhos pera se embebeda rem e fazemnos da Raiz duã herua q̃ se chama aipim, aqual feruẽ primeiro e depois de cozida mastigaõ na hũas moças virgens, e esprememna nũs potes grãdes e dalli atres ou quatro dias o bebem. E o dia que haõ matar este catiuo pella manhaã se alguã Ribeira está junto daldea leuaõ no abanhar nella comgrãdes cantares e follias, etanto q̃ chegam com elle a aldea, attam no pella cinta com quatro cordas cada hũa pera sua parte e tres quatro indios pegados em cada ponta destas e assi o leuaõ ao meyo dũ terreiro e tiraõ tanto por estas cordas que naõ se possa bollir pera hũa parte nẽ pera outra, as maõs lhe deixaõ soltas porque folgam de o ver deffender com ellas. Aquelle que o ha de matar empena se primeiro com penas de papagayo de muitas coores portodo corpo: ha de ser este matador o mais vallente da terra e o mais honrado. Traz na maõ huã espada dũ pao mui duro e pezado com que custumaõ de matar, e chegase ao padeçẽte dizẽdo lhe muitas cousas e ameaçandolhe sua geraçaõ que o mesmo ha de fazer a seus parentes, e de pois de oter afrontado com muitas pallauras injuriosas dalhe huã grãm pancada na cabeça e logo da primeira o mata e lha fazẽ pedaços. Está huã india velha cõ hũ cabaço na maõ. E assi como elle cae a code muito de pressa com elle a meterlho na cabeça pera tomar os meollos eo sange: tudo emfim cozem eassaõ e naõ fica delle cousaque naõ comaõ. Isto he mais por vingança e por odio que por se fartarẽ. De poisque comẽ a carne destes contrarios ficam nos odios confirmados, e sentem muito esta injuria, e por isso andaõ sempre a vingarse hũs contra os outros. E se amoça que dormia com o catiuo fica prenhe aquella criança que parẽ de pois de criada, mataõ na e comẽ na e dizem que aquella menina ou menino era seu contrario verdadeiro, e porisso estimaõ muito comerlhe a carne e vingar se delle. E porque a maỹ sabe o fim que haõ de dar aesta criança, muitas vezes quando se sente prenhe mataa dentro da barriga, e faz conque moua. E aconteçe alguãs vezes affeiçoar se tanto aeste catiuo e tomar lhe tanto amor que foge com elle pera sua terra pello liurar da morte. E assy algũs portugeses ha que desta maneira escaparaõ e estaõ oje ẽ dia viuos, e muitos indios que do mesmo modo se saluaraõ, ainda que saõ algũs taõ brutos que naõ querem fogir depois de os terem presos: porque ouue algũ que estaua ja no terrejro atado pera padeçer e dauaõ lhe a vida e naõ quis senaõ que o matassem, dizendo que seus parentes o naõ teriaõ por Vallente e que todos correriaõ com elle e daqui vem naõ estimarẽ a morte, e quando chega a quella ora naõ na terem em conta nẽ mostrarẽ nenhuã tristeza naquelle passo. Finalmente q̃ saõ estes indios mui deshumanos e crueis, naõ se mouẽ a nenhuã piedade: viuem como brutos animais sẽ ordem nẽ conçerto de homẽs saõ muidesonestos e dados a sensuallidade e entregãse aos viços como se nelles naõ ouuera Rezaõ de humanos, ainda que todauia sempre tem Resquardo os machos eas femeas em seu ajuntamento e mostrã ter nisto algũa vergonha. Todos comẽ carne humana e tem na pella milhor iguoaria de quantas pode auer: naõ de seus amigos com quem elles tem paz se naõ dos contrarios. Tem esta callidade estes indios que de qualquer cousa que comaõ por pequena que seja haõ de conuidar com ella quanta esteuerẽ presentes, só esta proximidade se acha antrelles. Comẽ dequantos bichos secriaõ na terra, outro nenhũ engeitaõ por pessonhento que seja somente aranha.

Tem estes indios machos por custume arrãcarem toda barba e naõ consentẽ nenhũ cabello em parte alguã de seu corpo, saluo na cabeça ainda que orredor della por baixo tudo arrancaõ. As femeas prezaõ se muito de seus cabellos e trazem nos muito compridos e penteados e as mais dellas emnastrados. Os machos custumaõ trazerẽ o beiço furado e huã pedra no buraco metida por gallantaria outros ha que trazem o Rosto todo cheo de buracos e assy pareçẽ mui feos e disformes: isto lhes fazem quando saõ meninos. Tambem algũs indios andaõ pintados portodo corpo, pello qual fazẽ hũs Riscos de muitas maneiras e poẽlhes huã çerta tinta e ficam sempre os mesmos Riscos escritos na carne: isto naõ traz se naõ quẽ tem feito alguã valentia. E assi tambem machos como femeas custumaõ atingirse cõ o sumo duã fruita que se chama genipapo que he verde quando se piza e depois que opoẽ no corpo e se inxuga fica mui negro e por muito que se laue não se tira se naõ aos noue dias, isto tudo fazẽ por gallantaria.

Estas indias guardaõ castidade a seus maridos e saõ muito suas amigas porque tambem elles sofrem mal adulterios. Casaõ os mais delles com suas sobrinhas filhas de seus irmãos ou irmãas, estas saõ suas molheres verdadeiras e naõ lhas podem negar seus pais.

Algũas indias se achã nestas partes q̃ jurão e prometem castidade, e assy naõ casaõ nẽ conheçẽ homẽ algum de nenhuã callidade, nẽ no consentiraõ ainda que por isso as matem. Estas deixaõ todo o exerçiçio de molheres e immittaõ os homẽs e segem seus offiçios como senaõ fossem molheres, e cortaõ seus cabellos da mesma maneira que os machos trazem e vaõ agerra com seu arco e frechas, e acaça: enfim que andaõ sempre na companhia dos homẽs, e cada hũa tem molher que a serue e que lhe faz de comer como se fossẽ casados.

Estes indios viuem mui descansados, naõ tem cuidado de cousa alguã se naõ de comer e beber e matar gente e porisso saõ mui gordos em estremo. E assy tambem com quer desgosto amagreçẽ muito, e como se agastaõ de qualquer cousa comẽ terra e desta maneira morrẽ muitos delles bestialmente. Todos segẽ muito o conselho das velhas tudo a que ellas lhe dizem fazem e tẽ no por mui çerto, da qui vem a muitos moradores naõ comprarẽ nenhũas por lhes naõ fazerẽ fogir seus escrauos.

Quando estas indias parem a primeira cousa que fazem de pois do parto lauaõ se todas nũ Ribeiro e ficam tambem despostas como senaõ pariraõ, em lugar dellas se deitaõ seus maridos nas Redes e assy os vesitaõ e curaõ como se elles fossem as paridas.

Quando algũ destes indios morre custumaõ enterrallo nũa coua assentado sobre os pees com sua Rede as costas em que elle dormia, e logo pellos primeiros dias poem lhe de comer em cima da coua. Outras muitas bestiallidades vsaõ estes indios que aqui naõ escreuo porque minha tençaõ foi naõ ser comprido, e passar por tudo isto com breuidade.

Dos Resgates.

Estes indios naõ possuẽ nenhuã fazenda, nẽ procuraõ acquerilla como os outros homẽs, somente cobiçaõ muito alguãs cousas que vaõ deste Reino-s-camisas, pellotes, ferramẽtas e outras cousas que elles tem em muita estima e desejaõ muito alcãçar dos portugeses. Atroco disto se vẽdiaõ hũs aos outros, eos portugeses Resgatauaõ mtos delles e salteauaõ quantos queriaõ sem ningem lhes ir amaõ, mas ja gora naõ ha isto na terra nẽ Resgates como soya, porque de pois que os padres da companhia vieraõ aestas partes proueraõ neste negoçio e vedaraõ muitos saltos que faziaõ os portugeses por esta costa os quais emcarregauaõ muito suas consçiençias com catiuarẽ muitos indios cõtra direito e mouerẽ lhes gerras injustas. E porisso ordenaraõ os padres e fezerã com os capitaẽs daterra que naõ ouuesse mais resgates nẽ consentissẽ que fosse nenhũ portuges a suas aldeas sem liçença do mesmo capitaõ. E quantos escrauos agora vem nouamente do sertaõ oudas outras capitanias todos leuão primeiro a Alfandega e alli os examinaõ e lhes fazem preguntas quẽ os vendeo, ou como forão Resgatados, porque ningem os pode vender se não seus pais ou aquelles que em justa gerra os catiuão. E os que achaõ mal acqueridos poem nos em sua liberdade, e desta maneira quantos indios se compraõ saõ bem Resgatados e os moradores da terra naõ deixaõ porisso dir mto auante com suas fazendas.