Tratado da Terra do Brasil/I/III

Wikisource, a biblioteca livre
< Tratado da Terra do Brasil‎ | I
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A capitania da Bahia de Todos os Santos está a cem léguas de Pernambuco em altura de treze graus. Terra d’el-Rei nosso Senhor, onde residem os governadores e bispo e ouvidor-geral de toda a costa. Esta é a terra mais povoada de portugueses que há no Brasil. tem três povoações, a principal é a Cidade de Salvador. A outra se chama vila velha que está junto da barra. Esta povoação foi a primeira que houve nesta capitania: depois tomé de Sousa, sendo governador, edificou esta Cidade de Salvador mais adiante meia légua ao longo da Bahia por ser lugar mais conveniente e proveitoso para os moradores da terra. Quatro léguas pela terra dentro está outra que se chama Paripe. pode haver nesta capitania mil e cem vizinhos. tem dezoito engenhos, alguns se fazem novamente. Também se tira deles, muito açúcar, ainda que os moradores se lançam mais ao algodão que a canas-de-açúcar por que se dá melhor na terra.

Dentro da cidade está um mosteiro de padres da Companhia de Jesus, na qual têm colégio onde ensinam latim e casos de consciência. Afora este há cinco igrejas pela terra dentro entre os índios forros, onde residem alguns padres para fazerem cristãos e casarem os mesmos índios por não estarem amancebados.

Esta capitania tem uma baía muito grande e formosa, há três léguas de largura, e navega-se quinze por ela dentro, tem muitas ilhas de terras muito viçosas que dão infinito algodão; divide-se em muitas partes esta baía: e tem muitos braços e enseadas dentro. os moradores da terra todos se servem por ela com barcos pelas suas fazendas.

Rios[editar]

Doze léguas desta Bahia de todos os Santos está um rio que se chama Tinharé, onde se recolhem muitas embarcações que passam pera as outras capitanias. Três léguas por ele dentro está um engenho de um Bastião de ponte, junto do qual estão muitas terras perdidas por falta de moradores, das quais se conseguiria muito proveito se as povoassem. Mais avante, seis léguas está um rio que se chama Camamu em treze graus e meio6 no qual podem entrar quaisquer naus seguramente quatro, cinco léguas por ele dentro.

Ao longo deste rio há terras muito viçosas e muitas águas para se poder fazer engenhos de açúcar, as quais também se perdem por não haver gente que as vá povoar. têm dentro algumas ilhas de terras mui grossas e acomodadas para se fazerem nelas muita fazenda. nesse mesmo rio há muito peixe em extremo, e junto dele muita infinita caça de porcos e veados. Aqui se pode fazer uma povoação, onde os homens vivam muito abastados e façam muitas fazendas. Há outro que se chama o rio das Contas, está em quatorze graus e meio, mas não é tão grande, ainda que também entram nele algumas embarcações. Em todos estes rios há muita abundância de peixes e de caça.