Cantigas de Santa Maria/LVIII

Wikisource, a biblioteca livre
Ir para: navegação, pesquisa
Cantigas de Santa Maria por Afonso X
Cantiga LVIII: De muitas guisas nos guarda de mal


Como Santa Maria desviou a monja que se non fosse con un cavaleiro con que posera de ss' ir.

De muitas guisas nos guarda de mal
Santa Maria, tan muyt' é leal.

E dest' un miragre vos contarei
que Santa Maria fez, com' eu sei,
da monja, segund' escrit' achei,
que d' amor lle mostrou mui gran sinal.
De muitas guisas nos guarda de mal...

Esta monja fremosa foi assaz
e tia ben quant' en regla jaz,
e o que a Santa Maria praz,
esso fazia senpr' a comunal.
De muitas guisas nos guarda de mal...

Mas lo demo, que dest' ouve pesar,
andou tanto pola fazer errar
que a troux' a que ss' ouve de pagar
dun cavaleiro; e pos preit' atal
De muitas guisas nos guarda de mal...

Con ele que sse foss' a como quer,
e que a fillasse pois por moller
e lle déss' o que ouvesse mester;
e pos de s'ir a el a un curral
De muitas guisas nos guarda de mal...

Do mõesteir'; e y a atendeu.
Mas en tant' a dona adormeçeu
e viu en vijon, ond' esterreçeu
con mui gran pavor que ouve mortal.
De muitas guisas nos guarda de mal...

Ca sse viu sobr' ur poç' aquela vez,
estreit' e fond' e mais negro ca pez,
e o demo, que a trager y fez,
deita-la quis per i no infernal
De muitas guisas nos guarda de mal...

Fogo, u mais de mil vozes oyu
d' omes e muitos tormentar y viu;
e con med' a poucas xe lle partiu
o coraçon, e chamou: Sennor, val
De muitas guisas nos guarda de mal...

Santa Maria, que Madr' es de Deus,
ca sempre punnei en faze-los teus
mandamentos, e non cates los meus
pecados, ca o teu ben nunca fal.»
De muitas guisas nos guarda de mal...

Pois esto disse, foi-ll' aparecer
Santa Maria e mui mal trager,
dizendo-lle: «Venna-ch' or' acorrer
o por que me deitast', e non m' en cal.»
De muitas guisas nos guarda de mal...

Esto dito, un diaboo a puxou
dentro no poç'; e ela braadou
por Santa Maria, que a sacou
del, a Reynna nobre spirital.
De muitas guisas nos guarda de mal...

Des que a pos fora, disse-ll' assi:
«Des oge mais non te partas de mi
nen de meu Fillo, e se non, aqui
te tornarei, u non averá al.»
De muitas guisas nos guarda de mal...

Pois passou esto, acordou enton
a monja, tremendo-ll' o coraçon;
e con espanto daquela vijon
que vira, foi logo a un portal
De muitas guisas nos guarda de mal...

U achou os que fezera vyr
aquele con que posera de ss' ir,
e disse-lles: «Mal quisera falir
en leixar Deus por ome terral.
De muitas guisas nos guarda de mal...

Mais, se Deus quiser, esto non será,
nen fora daqui non me veerá
ja mais null' ome; e ide-vos ja,
ca non quer' os panos neno brial.
De muitas guisas nos guarda de mal...

Nen mentre viva nunca amador
averei, nen non quer' eu outr' amor
senon da Madre de Nostro Sennor,
a Santa Reynna celestial.»
De muitas guisas nos guarda de mal...