Castelo Perigoso/LVIII

Wikisource, a biblioteca livre
< Castelo Perigoso
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Castelo Perigoso
Capítulo LVIII – Que a devota pessoa que se vê apressada de desvairadas tentações e teme cair, ela se deve logo acorrer a oração; e põe exemplo. E posto que nos Deus ajude em as tentações, não porém nos livra de todas por nos avivar à batalha


Ora, acontece algumas vezes que, quando aqueles que assim são cercados são cansados e anojados do longo cerco e se temem de muito estarem sem ajuda, enviam mensagens ao Senhor de cuja mão têm o castelo, pedindo-lhe que os queira socorrer. Assim deve fazer a devota pessoa que se vê apressada de desvairadas tentações e teme de cair e perder seu castelo.

Ela deve logo correr ao (donjom?), que é a torre da menagem, isto é, oração; e deve enviar seus mensageiros, scilicet, lágrimas e suspiros e devotos rogos a Deus, pedindo que a queira ajudar contra seus inimigos.

Isto nos é bem figurado no Segundo Livro dos reis, onde é escrito que Naas Amonites tinha cercados os jebes, que eram dos judeus, e requereram-lhe paz. E Naas lha outorgou com condição que a todos quebrasse os olhos dereitos. A eles não prouve da (preitesia?), e fizeram-no saber a rei Saul e ao povo de Israel, pedindo-lhe que os socorressem. Quando o povo ouviu isto, chorou e o rei lhe prometeu acorro e veio ao cerco e matou aqueles que os tinham cercados, que poucos escaparam.

Por Naas, que quer dizer serpente, se entende o diabo, que cerca a alma por desvairadas tentações. E acontece algumas vezes que ela é tão cansada de longamente combater que quer assim como requerir paz, isto é, que ela está acerca de consentir e obedecer ao diabo.

Mas quando a boa alma se avisa e conhece que aquela paz lhe seria vergonhosa e danosa, porque lhe conviera perder o olho direito, que é o amor e conhecimento de Deus e dos bens espirituais, ela envia a Deus lágrimas e suspiros e rogos devotos, que lhe acorra em este mister e que defenda seu castelo. Isso mesmo à Virgem Maria e a todos os santos que hajam piedade e compaixão de sua miséria e aflição. Ca, segundo diz são Bernardo, ainda que não sejam passíveis são compassíveis.

Isto significa o povo que chorou, e que el-rei lhe acorreu e matou seus inimigos, fora uns poucos que escaparam. Quer dizer que, pela virtude das orações da alma e polo rogo dos santos, Deus livrou a alma tentada de seus inimigos. E que não foram todos mortos significa que ainda que nos acorra e ajude nas tentações, não nos livra de todas, mas deixa alguns por nos avivar à batalha e por conhecermos nossa fraqueza e que sem ele pouco podemos, e ainda por não cairmos em preguiça ou negligência.