Contos Tradicionaes do Povo Portuguez/O thesouro enterrado

Wikisource, a biblioteca livre
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Contos Tradicionaes do Povo Portuguez por Teófilo Braga
124. O thesouro enterrado



124. O THESOURO ENTERRADO

Uns amigos tiveram noticia de um thesouro e combinaram ir antes do nascer do sol para o desenterrarem. Levantaram-se dois d'elles e foram pela porta do outro para o acordar; mas elle disse lá de dentro que não deixava o calor da cama por nada.

Os outros foram, acharam umas pedras afamadas, revolveram-nas, mas só encontraram castanhas de burro. Vieram-se embora estafados, e ao passarem pela porta do amigo, como lhe viram o postigo aberto, atiraram-lhe por pirraça com as castanhas para dentro de casa.

O hominho foi vêr o que era, e achou o chão alastrado de peças de ouro. Quando tornou a fallar com os amigos agradeceu a offerta, e quando lhes explicou o caso elles nunca quizeram acreditar.

( Airão.)



Notas[editar]

124. O thesouro enterrado. — Acha-se uma versão de Celorico de Basto publicada na Revista de Ethnologia e Glottologia, p. 170. O sr. Sylvio Romero, na sua collecção de Contos populares do Brazil, tral-o com o titulo O ouro dos Maribondos, tendo sido anteriormente publicado na Revista brazileira.