Dicionário de Cultura Básica/Cruzadas

Wikisource, a biblioteca livre
< Dicionário de Cultura Básica
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Dicionário de Cultura Básica por Salvatore D’ Onofrio
Cruzadas


CRUZADAS (luta entre cristãos e mouros) → Medievalismo

Do latim crux, instrumento de madeira onde se pregavam os condenados à morte. Foram chamadas "Cruzadas" as expedições militares promovidas pelo papado de Roma com o fim de libertar o Santo Sepulcro de Cristo, adorado na cidade de Jerusalém, ocupada pelos turcos em 1077. O nome se explica porque os guerreiros cristãos se distinguiam pelo emblema de uma grande cruz estampado no peito. De 1096 a 1270, ocorreram oito Cruzadas, chefiadas por príncipes de Estados cristãos da Europa. O alvo principal de expulsar os mouros de Jerusalém, de uma forma definitiva, não foi atingido, mas as grandes expedições tiveram uma importância fundamental do ponto de vista cultural e econômico. Rompendo o cerco muçulmano no mar Mediterrâneo, que provocara o isolamento dos Estados europeus por cinco séculos, os cruzados estabeleceram um florescente comércio entre os povos da Europa e do Oriente Médio. Enquanto introduziam estruturas feudais nos Estados maometanos, os soldados dos exércitos cruzados, quando de sua volta, difundiam no Ocidente a cultura literária e artística dos bizantinos e dos árabes. A importância foi tanta que alguns estudiosos consideram as Cruzadas como a causa principal do primeiro Renascimento da Europa, o que ocorreu após a passagem do primeiro Milênio da história ocidental cristã. Realmente, foi a primeira revolução comercial, de que se beneficiaram principalmente as cidades marítimas italianas. Gênova, Pisa e Veneza, desenvolvendo um intercâmbio comercial regular com o Levante, se tornaram as primeiras potências econômicas da Era medieval. As Cruzadas continuam sendo fonte de inspiração para obras literárias e artísticas, especialmente cinematográficas, reconstruindo ambientes e costumes daquela época histórica e lendária (→ Medievalismo).